Bohemian Rhapsody não destaca fato incrível de melhor amigo de Freddie Mercury

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As composições e performances de Brian May com o Queen durante sua formação clássica com o vocalista Freddie Mercury ficarão para sempre na história da música. Mesmo após a morte de Mercury em 1991, May assumiu muitos outros projetos e ajudou a trazer o Queen de volta aos fãs ao ter outros cantores realizando os vocais de Mercury.

Eventualmente, a banda se chamaria Queen+ e contaria com Paul Rodgers do Free/Bad Company nos vocais antes que o concorrente do American Idol Adam Lambert assumisse como o novo vocalista, segundo a I Love Classic Rock.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Embora muitos saibam do trabalho de May com o Queen – ele é creditado por escrever “We Will Rock You”, entre outras -, o astro da música também lançou alguns álbuns solo, Back to the Light (1992) e Another World (1998), segundo a RadioX. Em 1999, May compôs música para o filme francês Fúria.

Esta não seria a primeira vez de May compondo, já que ele e seus companheiros de banda do Queen haviam gravado a trilha sonora do clássico Flash Gordon de 1980, segundo o Ultimate Classic Rock.

A carreira fora da música

O trabalho incrível de Brian May, que foi interpretado por Gwilym Lee em Bohemian Rhapsody, se estende até mesmo fora do mundo da música – muito além, no universo.

Em 2007, May ganhou um PhD do Imperial College, em Londres, após contribuir com sua tese de doutorado sobre os movimentos da poeira interplanetária, de acordo com seu site.

May é coautor de publicações no campo da astronomia e passou um tempo trabalhando com a NASA. May também estabeleceu a campanha Save Me Trust, que defende a proteção dos habitats da vida selvagem e luta contra a caça à raposa e o abate de texugos.

May tem se mantido ocupado promovendo o Queen e ajudando não apenas a proteger o legado de sua banda, mas também de seu ex-companheiro de banda, Freddie Mercury. Após o sucesso da biografia do Queen Bohemian Rhapsody, os fãs queriam ainda mais de sua banda favorita na tela.

Em resposta, May disse à Rolling Stone: “Não pense que não pensamos nisso. Nós conversamos. Basicamente, achamos que não, no momento. As coisas podem mudar, suponho, mas acho que uma mudança seja difícil.”

Em 2020, May teve um susto de saúde ao sofrer um infarto provocado por complicações de medicamentos destinados ao tratamento do coração, segundo a CNN. Felizmente, May, agora com 73 anos, está melhorando, dizendo: “Estou ficando forte. Vou ser o Homem de Ferro em breve.”

No Brasil, Bohemian Rhapsody está agora disponível para compra ou aluguel no YouTube e no Google Play Filmes.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio