Estranho hábito de Michael Jackson é revelado por famosa cantora

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Michael Jackson cantou ao lado de muitos artistas famosos e uma das cantoras com quem trabalhou no auge da fama foi Sheryl Crow, que revelou um hábito estranho do Rei do Pop.

Jackson e Crow fizeram um tour juntos entre 1987 e 1989 e durante esse período os dois passaram bastante tempo juntos. Ela revelou que ele adorava pregar peças nela.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Tenho muitas memórias dele pregando peças em mim. Nossas tendas para rapidamente trocar de roupa compartilhavam um lado”, disse Crow à revista Time.

“Conforme corríamos para mudar o figurino entre as canções, invariavelmente, uma uva ou cenoura vinha voando na minha direção, jogada por ele”, continuou a cantora.

Sheryl Crowe ainda revelou que Michael Jackson “alugava parques de diversão o tempo todo” e amava rir.

Michael Jackson “não era o amigo normal”

Rashida Jones, de The Office e Parks and Recreation, revelou que teve encontros inusitados com celebridades enquanto crescia. Um desses estranhos encontros envolveu ninguém menos que Michael Jackson.

Filha do lendário produtor musical Quincy Jones, a estrela de The Office revelou que chegou a conhecer celebridades como a família Sinatra, o já citado Michael Jackson, dentre outros, quando ainda era jovem.

“Acho que, por ter crescido nos anos 1970 e 1980, provavelmente resolveu vários problemas que você imaginaria ter na cabeça, porque não havia redes sociais, não havia tecnologia desse tipo basicamente, exceto por telefones e betamax”, disse Rashida Jones.

“Eu definitivamente sabia que, sabe, as pessoas ao meu redor eram amadas mundialmente, mas não sabia ao certo, porque não existia Internet”, continuou.

A atriz de The Office falou sobre as visitas de Michael Jackson a seu pai, com quem trabalhou ao longo da carreira. Ela chegou a dizer que estava presente na gravação do álbum Thriller.

“Ele era um garoto quando meu pai começou a trabalhar com ele, então ele estava feliz em só passar o tempo conosco. Às vezes ele trazia sua jiboia-constritora, seu chimpanzé. Não era, sabe, o amigo normal da família”.

Michael Jackson morreu em 2009 aos 50 anos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio