Verdade sobre vida complicada de Freddie Mercury vai chocar fãs

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Considerado um dos maiores músicos de todos os tempos, Freddie Mercury teve uma vida intensa e, infelizmente, curta.

O cantor, que morreu em novembro de 1991 devido a uma broncopneumonia, acarretada pela AIDS, ficou conhecido mundialmente como o astro da banda Queen. Mercury e seus companheiros tiveram suas vidas abordadas no filme Bohemian Rhapsody, lançado em 2018.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A cinebiografia, é claro, deixou de fora diversos detalhes do que realmente aconteceu na vida real.

A Yahoo Entertainment publicou em setembro de 2020 uma matéria em que detalhou a jornada de Freddie Mercury da infância até a morte. É especialmente curioso acompanhar os detalhes de sua juventude, uma parte da vida do astro tão pouco falada.

Tímido na infância

Freddie Mercury (cujo nome de batismo é Farrokh Bulsara) nasceu na Cidade de Pedra, em Zanzibar, uma parte da Tanzânia.

Seu pai, Bomi Bulsara, era caixa da corte suprema do governo britânico, o que significava que a família de Mercury tinha privilégios culturais em comparação com o resto da população. Quando tinha oito anos de idade, ele foi enviado para a Escola da Igreja de São Pedro da Inglaterra em Panchgani, Índia, perto da cidade natal de seus pais, Bombaim, hoje Mumbai.

Segundo relatos, Mercury era uma criança terrivelmente tímida no começo, mas quando foi se soltando, recebeu o apelido afetuoso de “Freddie” de seus professores.

A mãe de Freddie Mercury, Jer Bulsara (hoje falecida), contou ao Telegraph em 2011 que o filho sempre teve um gosto para a música. Era algo que estava em sua cabeça o tempo todo.

“Desde o início, Freddie era musical, ele ficava pensando nisso o tempo todo”, comentou.

“Ele podia tocar qualquer música. Ele podia ouvir algo e tocar imediatamente.”

Início na música

Quatro anos depois de estudar na Escola da Igreja de São Pedro da Inglaterra, Freddie Mercury formou sua primeira banda com seus colegas de classe, chamada Hectics.

Gita Choksi, uma aluna de uma escola feminina vizinha, recordou como Freddie Mercury mudava quando estava no palco, de acordo com o livro Freddie Mercury: A Biografia Definitiva. Ele ainda era tímido na época, mas rapidamente mudava quando estava no palco.

“Ele era um artista extravagante, definitivamente tinha encontrado seu elemento no palco.”

Um dos amigos de infância de Freddie Mercury, Subash Shah, contou ao jornalista Anvar Alikhan em 2016: “Sim, Freddie era muito tímido. Mas ele também era um exibido por natureza, então sua personalidade mudava completamente quando estava no palco.”

Foi ainda na escola que as questões em torno da sexualidade de Freddie Mercury começaram a se formar.

Outra aluna que conheceu o cantor, Janet Smith, contou: “Ele era um menino extremamente magro e intenso, que tinha o hábito de chamar as pessoas de ‘queridas’. Parecia um pouco enigmático.”

“Não era algo que os outros garotos faziam naquela época.”

“Foi aceito que Freddie era homossexual quando ainda estava na escola. Normalmente os outros julgariam, mas com Freddie não aconteceu, estava tudo bem.”

A revolução de Zanzibar em 1964 fez com que a família de Freddie Mercury fugisse para Londres, estabelecendo-se em Feltham, Middlesex.

Mercury logo se matriculou na Isleworth Polytechnic, estudando design gráfico. Ele depois se transferiu para o Ealing Art College, que foi onde obteve seu diploma em Arte e Design Gráfico.

Foi nessa faculdade que ele conheceu o colega Tim Staffell, que tinha uma banda chamada Smile ao lado do guitarrista Brian May e do baterista Roger Taylor.

No início de 1969, Staffell apresentou seu novo amigo aos colegas de banda – que logo se tornaria o Queen. O resto, como todos sabem, é história.

Freddie Mercury morreu em novembro de 1991, aos 45 anos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio