Acusado de pedofilia, ator de Army of the Dead é demitido na Netflix

Chris D'Elia deixou o projeto de Zack Snyder e foi substituído por Tig Notaro

Publicado em 5/23/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Você já conferiu Army of the Dead: Invasão em Las Vegas? O filme de zumbis produzido por Zack Snyder e protagonizado por Dave Bautista tem tudo para se tornar um dos maiores sucessos da Netflix em 2021.

O filme promete agradar fãs do estilo característico do cineasta e entusiastas do gênero de sobrevivência, além de admiradores de séries como The Walking Dead.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Um grupo de mercenários organiza um grande assalto a um cassino de Las Vegas em meio a um apocalipse zumbi”, afirma a sinopse oficial do longa.

Quem já assistiu à trama de Army of the Dead sabe que uma das personagens mais interessantes é a piloto Marianne Peters, vivida pela atriz e comediante Tig Notaro

O que muitos fãs não sabem é que outro comediante foi escalado originalmente para o papel – e acabou demitido após acusações de pedofilia e assédio sexual.

Confira abaixo tudo sobre essa história polêmica!

Mudança de elenco em Army of the Dead

Chris D’Elia fez parte da primeira leva de atores anunciados no elenco de Army of the Dead: Invasão em Las Vegas, ainda em julho de 2019.

O ator chegou a gravar todas as suas cenas e contracenar com os outros membros do elenco em todas as filmagens realizadas no ano.

Em agosto de 2020, a Netflix e a equipe de produção de Army of the Dead anunciaram que D’Elia seria substituído por Tig Notaro

As cenas da humorista como Marianne Peters foram inseridas no filme por uma combinação de regravações com parceiros de cena – seguindo os protocolos de isolamento social da Covid-19 – e estratégias de CGI.

O resultado, no final das contas, ficou excelente! Muita gente nem chegou a perceber que a presença da atriz foi incluída no longa posteriormente.

Tig Notaro é uma aclamada comediante americana, conhecida principalmente por sua comédia stand-up no estilo deadpan – uma forma de humor deliberadamente apresentada sem variação de linguagem corporal e de emoção, com o objetivo de contrastar com o ridículo do assunto ou piada.

Em 2012, Notaro foi diagnosticada com câncer de mama nos dois seios. Em agosto do mesmo ano, a comediante falou sobre a doença e outras dificuldades pessoais em uma apresentação de stand-up.

A maneira como a atriz abordou um tema tão difícil com leveza e humor foi rapidamente descrita como “lendária” por diversos comediantes.

Tig Notaro também falou sobre suas experiências com o câncer no álbum Boyish Girl Interrupted, que foi indicado ao Grammy de Melhor Álbum de Comédia em 2017.

A demissão de Chris D’Elia

Em junho de 2020, o ator e comediante Chris D’Elia foi acusado de assédio sexual, pedofilia e solicitação de material pornográfico por diversas garotas menores de idade. 

Na época, o ator negou as acusações, afirmando que “nunca se envolveu de propósito com alguém menor de idade”.

D’Elia – que ironicamente interpreta um comediante que usa da fama para seduzir menores de idade na série Você, da Netflix – foi demitido de vários projetos.

Penn Badgley, o astro de Você, afirmou que “a ideia de que a nossa série poderia ter funcionado, mesmo de indiretamente, como uma espécie de lugar seguro para abusadores é realmente assustadora”.

Em agosto do mesmo ano, o ator foi substituído por Tig Notaro após gravar todas as cenas de seu personagem em Army of the Dead.

Em setembro de 2020, o site CNN Entertainment reportou que, em 2011, D’Elia pediu uma carona para a atriz Megan Drust após encontrá-la em um restaurante. No carro, o comediante teria exposto seu órgão sexual e se masturbado na frente da atriz.

Dois amigos de Drust confirmaram a veracidade do relato.

Após negar as acusações por mais de 6 meses, Chris D’Elia postou um vídeo de 10 minutos em seu canal no YouTube, no qual aborda as alegações e afirma que “sua vida era controlada pelo sexo”. Mesmo assim, o humorista continua a garantir que “todas as suas relações foram legais e consensuais”.

Em março, D’Elia foi processado por uma mulher anônima na Corte Federal dos Estados Unidos. A vítima teria sido abusada pelo ator aos 17 anos, e convencida a enviar imagens sexualmente explícitas pelas redes sociais.

Durante um período de 6 ou 7 meses entre 2014 e 2015, a jovem teria enviado mais de 100 imagens e vídeos para Chris D’Elia por meio do Snapchat. Tudo teria acontecido quando a vítima ainda era menor de idade, com 17 anos.

Em uma nota oficial, o porta-voz de Chris D’Elia afirmou que o ator continua a negar as acusações, e que pretende se defender “com veemência” no tribunal.

Army of the Dead: Invasão em Las Vegas está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio