Mais do que você gosta.

Publicidade

Legado eterno

Guitarrista do Queen revela como era o verdadeiro Freddie Mercury

Segundo Brian May, cantor era inseguro e tímido na vida pessoal

Publicado por Alexandre Guglielmelli

30/09/2021 09:30

Freddie Mercury conquistou o mundo inteiro com seu estilo ousado e irreverente. O vocalista e líder da banda Queen é considerado até hoje um dos músicos mais icônicos de todos os tempos. O que muitos fãs não sabem é que o astro era bastante inseguro em sua vida pessoal – pelo menos, foi isso que revelou o guitarrista Brian May em uma entrevista recente.

A história de Freddie Mercury virou filme em 2019, com Rami Malek no papel principal. Bohemian Rhapsody, embora tenha dividido a opinião dos críticos, arrasou nas premiações na indústria e conquistou o público internacional.

Continua depois da publicidade

Freddie Mercury faleceu em 24 de novembro de 1991 – mas seu legado permanece vivo até hoje. Sem sua influência, a música pop da atualidade, com certeza, seria muito diferente.

O site Ultimate Guitar revelou tudo que Brian May contou sobre Freddie Mercury em sua entrevista; confira abaixo.

Como era o verdadeiro Freddie Mercury?

Em sua entrevista ao site especializado em guitarras, Brian May foi perguntado se Freddie Mercury sempre foi esse vocalista confiante e decidido, conhecido no mundo inteiro por sua incrível personalidade.

Brian May revelou que Freddie Mercury sempre foi um rockstar, mas que enfrentava grandes a insegurança em sua vida pessoal.

“Ele se comportava como se fosse o Robert Plant, mas ninguém se importava, já que ele tinha aquela aura poderosa. Mas por trás dela, vivia com uma enorme insegurança e uma grande timidez, até o fim”, comentou o guitarrista.

O guitarrista do Queen revelou também que o colega de banda nunca desejou mostrar suas vulnerabilidades e inseguranças para o público.

“Ele tinha um lado bastante privado, que poucas pessoas conheciam. Como construiu sozinho sua carreira, enfrentava muitas inseguranças. É como se você tirasse as camadas de uma cebola e encontrasse algo muito complexo no interior”, revelou May.

O companheiro de banda de Freddie Mercury também discutiu a relação do cantor com a música, suas letras e performances.

“Quando perguntavam para ele se as músicas eram importantes, sempre dizia que ‘as canções não valem nada’. Mas é claro que ele sentia que tinha algo para dizer. E isso é visto no tom inusitado de algumas das letras. Era algo muito fantasioso, com fadas, criaturas e goblins”, comentou o guitarrista.

Ao final da entrevista, Brian May concluiu que Freddie Mercury escolheu uma imagem tão ousada para lidar com o mundo justamente para compensar seu alto nível de insegurança.

“Acho que ele sempre tentou se expressar de maneiras desafiadoras, mas no interior, sempre foi muito inseguro. A imagem dele, no entanto, é a de um verdadeiro guerreiro”, afirmou o músico.

Publicidade