Mais do que você gosta.

Publicidade

Revelação

Marco Pigossi revela namoro de 8 anos com outro homem e afastamento do pai

Ex-Globo também contou motivo para deixar novelas e ir para Netflix, em que está em Cidade Invisível

Publicado por Bruno Tomé

08/01/2022 10:42

Astro de Cidade Invisível na Netflix, Marco Pigossi assumiu namoro com o diretor italiano Marco Calvani no fim de 2021, revelando ser homossexual. Em especial da Revista Piauí, o ex-Globo revelou a jornada até a publicação importante para ele, que conta com um romance de 8 anos com outro homem e o distanciamento do pai.

Até se assumir, Marco Pigossi conta que passou por momentos de conflitos internos. O primeiro foi na novela Caras & Bocas, de 2009, em que teve um personagem gay.

Continua depois da publicidade

Para passar pela novela, o ator fazia terapia cerca de três vezes por semana. Na época, Marco Pigossi não pensava em revelar publicamente a orientação sexual.

“Na minha cabeça, não havia nenhuma margem de chance para eu me assumir. Se fizesse isso, todas as portas se fechariam para mim de forma automática. Essa possibilidade me aterrorizava”, contou o ator da Netflix para Piauí.

Em 12 anos de vida pública, Marco Pigossi confessou que teve um relacionamento de oito anos com outro homem, em que morou com o ex-namorado. O ator de Cidade Invisível escondeu a todo custo a relação, chegando a ter um ataque de pânico quando uma revista publicou um boato sobre o famoso ter um caso com outro ator da novela Fina Estampa.

A matéria, que apontava o nome de Rodrigo Simas como o parceiro, era mentirosa, conta Pigossi. Mas, a publicação apontar a orientação sexual do ator da Netflix o deixou desesperado em um aeroporto.

“Então, tive uma crise de pânico, comecei a tremer e suar. Fui para o banheiro do aeroporto, me tranquei em uma cabine e comecei a vomitar. Liguei para meu parceiro, chorando. Eu dizia para mim mesmo que minha carreira tinha acabado. Não conseguia sair dali. Meu companheiro teve que pegar um voo de São Paulo ao Rio para me buscar”, relembrou o astro.

Marco Pigossi revela afastamento do pai e mudança para Netflix

A terapia ajudou o ator de Cidade Invisível. Marco Pigossi começou a se auto aceitar, ao mesmo tempo que notou algo sobre a relação com o pai, em que os dois se distanciaram.

“E então vieram a candidatura e a eleição de Jair Bolsonaro em 2018. Meu pai (Oswaldo Pigossi) votou em Bolsonaro. Durante os oito anos do meu namoro com um homem, minha família sempre soube. Mas meu namorado e eu nunca jantamos com meu pai, que jamais perguntou sobre meu relacionamento. Minha vida amorosa era um não assunto. E, quando meu pai votou em Bolsonaro, senti uma dor profunda, uma tristeza profunda”, desabafou o astro de Cidade Invisível.

Hoje, o contato com o pai é mínimo. Os dois não se falaram no ano das eleições e se comunicam de forma “esporádica”.

Para Pigossi, a saída da Globo – e ida para Netflix – envolveu o fato de que seria “menos doloroso” se assumir gay morando em outro país. Hoje, o astro brasileiro vive nos EUA, tendo gravado antes as séries Tidelands, da Austrália, e Alto Mar, da Espanha.

Durante a mesma entrevista, o ator de Cidade Invisível também relatou que se sentia infeliz com os papéis de galã em novelas.

“Estava infeliz por dentro. Seguia me escondendo. Na verdade, eu me fazia passar por um heterossexual por pura e simples manifestação de medo”, afirmou o astro da Netflix.

Ao mesmo tempo que passava por esse conflito interno, Marco Pigossi ainda relembrou uma declaração de Sílvio de Abreu.

“Em 2010, o ano em que emendei Caras & Bocas direto para a novela Ti Ti Ti, li uma entrevista do Silvio de Abreu, autor de telenovelas e então diretor de dramaturgia da Globo, na Folha de S.Paulo. Ele dizia que um ator assumido era um ‘bobo’, pois a revelação fatalmente prejudicaria sua carreira”, pontuou o artista.

Sobre o namoro com o diretor italiano, os dois estão juntos há um ano e meio. A publicação foi um grande passo para Marco Pigossi, que sentiu muita apreensão antes de Calvani colocar a foto no Instagram. Depois, o astro de Cidade Invisível sentiu uma “libertação”.

“Foi uma libertação. Uma festa. Nada como viver às claras, ser o que se é em privado e em público. Talvez os futuros galãs não sintam o mesmo medo que eu senti de perder minha carreira. Bolsonaro trouxe uma onda de ódio inacreditável, mas o efeito colateral foi fortalecer todos nós, gays. Naquele feriado, as respostas foram um alento imenso, o acolhimento de um mundo inteiro. Marco e eu convidamos uns amigos para comemorar. Tomei um porre. E hoje me sinto invencível”, finalizou o astro da Netflix.

Cidade Invisível e as séries citadas acima estão na Netflix. A série nacional com Marco Pigossi, inclusive, está renovada para segunda temporada.

Publicidade