A autora do livro Cinquenta Tons de Cinza, E.L. James não gostou do final do filme escolhido pela diretora Sam Taylor-Johnson.

Segundo o Hollywood Reporter, a escritora do best seller vetou que o longa tivesse o mesmo final da obra literária. James recebeu autorização do estúdio para promover mudanças no filme e fez uso desse poder.

Sam Taylor-Johnson, que queria um final mais “inteligente e bacana”, não gostou das interferências externas, mas teve que acatar a decisão da autora.


SPOILERS

O primeiro volume da trilogia erótica termina com Anastasia Steele se submetendo à Christian Grey em uma sessão de dominação.

No final escolhido por James, Ana grita “Pare”, enquanto no final preterido de Taylor-Johnson a protagonista diria “vermelho”, a palavra de segurança combinada por Ana para interromper a sessão com Christian.

Em Cinquenta Tons de Cinza, Anastasia Steele (Dakota Johnson) é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Certo dia, ela entrevista o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan) para o jornal da faculdade. A partir daí nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey.

Cinquenta Tons de Cinza é dirigido por Sam Taylor-Johnson (O Garoto de Liverpool).

O longa chega aos cinemas nacionais dia 12 de Fevereiro de 2015, um dia antes da estreia norte-americana.