Junho é o mês dos namorados. Desde que o cinema é cinema temos os filmes de amor em que a mocinha apaixonada pelo rapaz sofre durante o filme inteiro para no final ficar com o objeto de seu desejo, mas a ideia dessa lista é outra, veremos filmes em que os personagens se amam (ou não), se querem e se precisam, mas por desventuras da vida, ou melhor, do roteirista, sentem a necessidade de se separar (ou não), tentar esquecer o amor ou conhecer um novo amor.

Mas, amor é único? Amor tem pausa? Amor tem sexo? Amor tem razão? Amor tem respostas? Não existem respostas para o amor, o amor acontece e, nesse caso, com finais nem sempre convencionais, mas apaixonantes.

Veja os filmes e tire suas conclusões:


1. Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembrancas

O que aconteceria se você quisesse apagar da memória a pessoa amada com as brigas e o romance que tiveram? E é isso o que acontece com Joel (Jim Carrey) depois que descobre que sua ex Clementine (Kate Winslet) fez isso com ele. O filme com uma história super inusitada surpreende com a química perfeita entre Jim Carrey e Kate Winslet, quando terminamos de vê-lo percebemos que o amor com todas as suas idas e vindas, é uma coisa que se eterniza não importando se houve sofrimento ou não.

2. 500 Dias Com Ela

500 Dias Com Ela

No filme, é contado os 500 dias de amor (ou não) de Tom e Summer alternando os momentos maravilhosos e outros nem tão bons assim, pois Tom (Joseph Gordon-Levitt) é um romântico e Summer (Zooey Deschanel) não acredita na existência do amor. Com uma trilha sonora encantadora e com o ótimo carisma dos protagonistas, 500 Dias Com Ela vai ficar um bom tempo na sua memória, principalmente por mostrar o “amor” de uma forma bem realista e uma boa sacada do filme é quando a tela se divide em Realidade e Expectativa.

3. Entre o Amor e a Paixão

Entre o Amor e a Paixao

Margot (Michelle Williams) é casada com Tom (Seth Rogen) e um dia em um voo conhece Daniel (Luke Kirby), seu vizinh,o e começam a sentir uma atração inexplicável. O difícil no filme é que nós torcemos pelos três personagens, pois cada um deles, na sua verdade, são corretos, íntegros e merecem ser felizes. Ponto alto para a interpretação de Michelle Willians que se entrega totalmente como Margot e preste atenção em uma passagem de tempo que acontece em sua casa e que é um momento lindo. Um filme nota 10.

4. Closer – Perto Demais

Closer Perto Demais

Closer é quase um teatro filmado, vide seus diálogos tão bem estruturados e tão bem ditos pela boca de suas personagens, os casais vividos por Jude Law e Natalie Portman, Julia Roberts e Clive Owen, que passam por poucas e boas no quadrado amoroso em que vivem, tentando descobrir a quem se ama de verdade sem medo de falar ou fazer ações que possam machucar o outro ou a si próprio. O ponto alto do filme é a direção de Mike Nichols que nos fala, sem dó ou piedade, do sexo e do amor que corroem tanto a nossa sociedade contemporânea, uma grande experiência para os dias de hoje em que as relações estão cada vez mais efêmeras.

5. O Segredo de Brokeback Mountain

Brokeback Mountain

A história dos cowboys que se apaixonam cativou o mundo inteiro pelo drama do amor que não podia ser falado, dói demais ver Ennis Del Mar (Heath Ledger) sofrendo pela sua condição por amar Jack Twist (Jack Gyllenhaal) e principalmente pela dor de nunca poder assumir aquele sentimento que lhe é tão estranho. Com fotografia e trilha sonora exuberante o filme nos convida a nos aproximarmos dessa pequena obra prima que nos mostra que o amor é universal.