Christopher Lee, um dos grandes ícones do cinema de terror, morreu aos 93 anos de parada cardiorrespiratória. Embora o falecimento tenha ocorrido em 7 de junho, por desejo de sua esposa, o mesmo foi anunciado ao público somente em 11 de junho para informar primeiramente os familiares e amigos mais chegados.

O ator inglês ficou conhecido por personagens como Drácula, Saruman (das sagas O Senhor dos Anéis e O Hobbit) e Conde Dookan (da saga Star Wars) e atuou em mais de 250 filmes para o cinema e TV.

Christopher Frank Carandini Lee nasceu em 27 de maio de 1922 em Londres, na Inglaterra. Após servir nas forças armadas britânicas durante a segunda guerra mundial, iniciou sua carreira no cinema em 1948, no filme Escravo do Passado (Corridor of Mirror). Em 1958, atuou em O Vampiro da Noite (Horror of Dracula) no papel de Drácula, no primeiro de nove filmes feitos para a companhia Hammer Films, especializada em filmes de terror. Sua atuação nesse filme, que mistura terror com sensualidade, o tornou famoso no mundo inteiro e foi muito elogiada pela crítica a ponto de, até hoje, ser considerado o melhor Drácula do cinema ao lado de Bela Lugosi.


Porém, ao longo dos anos, provou ser um ator muito versátil trabalhando não só em filmes de terror como O Homem de Palha (The Wicker Man, 1973), que considerava o seu melhor trabalho, e A Mansão da Meia-Noite (House of Long Shadows, 1983), no qual trabalhou com os grandes astros de filmes de terror como Peter Cushing, Vincent Price e John Carradine; como também em filmes de ação como 007 Contra o Homem com a Pistola de Ouro (The Man With The Golden Gun, 1974); as comédias 1941 (idem, 1979, de Steven Spielberg) e Gremlins 2: A Nova Turma (Gremlins 2: The New Bath, 1990); em mistérios como A Invenção de Hugo Cabret (Hugo, 2011, de Martin Scorcese); dramas como Trem Noturno Para Lisboa (Night Train To Lisbon, 2013); e musicais como The Girl From Nagasaki (2013).

Mostrando que, de fato, era um artista de muita versatilidade, gravou quatro discos de Heavy Metal (!) e ainda fez dezenas de dublagens tanto para filmes quanto para vídeo games. Em 2009, se tornou Cavaleiro pela Rainha Elizabeth II e ganhou o título de Sir pelos serviços prestados às artes dramáticas e à caridade.

Christopher Lee deixa um filme póstumo completo, Angels in Notting Hill (2015) e um incompleto, The 11th, ainda em pré-produção, cujo lançamento está previsto para 2016.

Ele vai fazer muita falta. Que descanse em paz.