Na época em que filmou o drama gay Freeheld, Ellen Page ainda não era assumidamente lésbica. E durante entrevista ao EW para promover o filme, a atriz falou justamente sobre esse desafio de ter vivido uma personagem gay, inspirada em uma pessoal real, e continuado no armário.

“Quando você está contando uma história sobre pessoas que fizeram algo extremamente corajoso e desafiador [para terem seus direitos reconhecidos como um casal homossexual], e particularmente em tempos de dificuldades e tragédias inimagináveis, é difícil fazer isso e permanecer enrustida”, confessou.

Na recente pré-estreia de Freeheld em Nova York, Ellen Page definiu o filme como “inspirador” e aproveitou para levantar a bandeira contra o preconceito.


“As personagens são inspiradoras, elas defenderam [uma causa]. Elas não estavam sendo tratadas de forma igual e então fizeram algo a respeito disso. Isso inspirou minha vida, e foi uma das razões pelas quais eu quis contar a história delas. Nós ainda podemos fazer a mudança hoje. Ainda existe preconceito, e a única maneira de progredirmos é falar sobre isso e fazer alguma coisa a respeito”.

Page diz que filme a inspirou a sair do armário

Adaptada do documentário vencedor do Oscar em 2008, a trama acompanha a mecânica de New Jersey Stacie Andree (Page) e sua namorada, a detetive policial Lauren Hester (Moore), que batalham para conseguir os benefícios da pensão de Hester, após esta contrair uma doença terminal. O casal passou as últimas semanas de Hester lutando por uma apelação, causa ganha pouco antes da morte de Lauren em 2006.

Steve Carell, Michael Shannon, Luke Grimes e Josh Charles completam o elenco.

Com direção de Peter Sollett (Uma Noite de Amor e Música), Freeheld estreia nos EUA em 2 de outubro.