Que Horas Ela Volta?, a escolha do Brasil para representar o país na categoria de Melhor filme estrangeiro do Oscar 2016, também foi escolhido para abrir a oitava edição do Festival de Cinema Brasileiro em Moscou, que será realizado entre os dias 27 de outubro a 2 de novembro.

A atriz Camila Márdila (Que Horas Ela Volta?) e o ator Milhem Cortaz (O Lobo Atrás da Porta) já tiveram suas presenças garantidas no evento.

Camila Márdila e Regina Casé dividiram este ano o prêmio de melhor atuação feminina no Festival de Sundance, considerado o Oscar dos filmes independentes, desbancando estrelas de Hollywood como Nicole Kidman.


Que Horas Ela Volta? também venceu o prêmio do público de melhor filme no Festival de Berlim e foi apontado por respeitadas publicações, como a revista inglesa Screen, além do site Indie Wire, como um dos principais candidatos ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2016, categoria em que o Brasil não recebe indicações desde Cidades de Deus (Fernando Meirelles), em 2004.

Outros 11 longas brasileiros serão exibidos ao longo da semana no Festival de Moscou, entre eles Não Pare na Pista, O Outro Lado do Paraíso, Brincante, Love Film Festival, A História da Eternidade, Getúlio, O Último Cine Drive-In, Permanência, Trinta, O Menino no Espelho e o documentário Amazônia Eterna.

Com os filmes de 2015, já serão 98 longas exibidos para os russos desde 2008.

Critica | Que Horas Ela Volta?

10 razões para assistir Que Horas Ela Volta?

Dirigido por Anna Muylaert, Que Horas Ela Volta? conta a história de Val (Regina Casé, de Areias Escaldantes), uma empregada doméstica vinda de Pernambuco que trabalha para uma rica família em São Paulo. Val é considerada um membro da família tendo, inclusive, criado o filho dos patrões (o estreante Michel Joelsas) como se fosse o seu próprio, mas dorme em um quartinho na parte de trás da casa. Um dia, sua filha Jéssica (a também estreante Camila Márdila), que ela deixou em Pernambuco com o avô, vem a São Paulo para prestar o vestibular na mesma época que o filho de seus empregadores. O equilíbrio reinante na família até então começa a desmoronar.

Veja o trailler: