Depois de criticar James Bond, chamando o espião de “misógino”, seu intérprete Daniel Craig agora resolveu falar o que pensa sobre os filmes do agente secreto.

Em entrevista ao The Guardian, o ator disse que os filmes de 007 não podem ser levados a sério: “Fui levado para ver filmes de James Bond com meu pai quando eu tinha uns oito, nove anos, e pensei que era fantástico. Era uma coisa de homens, no final das contas, mas tenho a sensação que minha mãe ficou frustrada por eu ter achado o filme interessante. [Os longas de Bond] São apenas escapismo do sexo masculino, fantasia masculina, então acho melhor não levá-los muito a sério”.

“Eu gosto do fato de que Sam [Mendes, diretor] tentou enraiza-lo em algo real e relevante, mas o filme não suporta essa inspeção muito meticulosa”, continuou Craig. “Mas eu gosto dos princípios dos filmes de Bond, eles trabalham no diálogo que você compra naquele momento, porque o mundo real é muito mais complexo”, concluiu.


O novo filme de James Bond fez US$ 63,8 milhões no seu primeiro fim de semana no Reino Unido, registrando a maior abertura da história por lá – leia mais.

007 Contra Spectre será o filme mais longo da franquia de James Bond com 148 minutos (2 horas e 28 minutos) e estreia no Brasil em 5 de novembro, chegando ao resto do mundo no dia seguinte.

Além de marcar a possível despedida de Daniel Craig do papel, 007 Contra Spectre também pode ser o último do diretor Sam Mendes na franquia – leia mais.

Em 007 Contra Spectre, uma enigmática mensagem do passado de James Bond (Daniel Craig) o coloca no caminho para desvendar uma sinistra organização. Enquanto “M” (Ralph Fiennes) luta contra forças políticas para manter vivo o serviço secreto, Bond combate a fraude para revelar a terrível verdade por trás da SPECTRE.

Christoph Waltz, Lea Seydoux, Naomie Harris, Ben Whishaw, Dave Bautista e Monica Bellucci completam o elenco. Sam Mendes (007 – Operação Skyfall) retorna para dirigir Spectre.