Em sua visita ao set de Deadpool, o Collider trouxe várias novidades sobre o filme solo do mercenário vivido por Ryan Reynolds.

Algumas delas são revelações curiosas: de acordo com o diretor Tim Miller, Deadpool é pansexual no filme e quebra a quarta parede, ou seja, atravessa a linha imaginária entre ficção e realidade ao tirar sarro de sua (mal aproveitada) participação em X-Men Origens: Wolverine.

Além disso, o filme solo de Deadpool faz várias outras referências ao universo X-Men e seus mutantes, incluindo uma citação ao Professor Xavier. Uma participação especial de Stan Lee também foi confirmada.


Ainda segundo a publicação, o longa explora ao máximo sua censura 18 anos, mostrando cenas bastante gráficas, super violentas e coisas “bem racistas” ditas pelo mercenário.

Deadpool chegará aos cinemas em 12 de fevereiro de 2016.

Recentemente, a produção de Deadpool retornou a Vancouver, no Canadá, para gravar novas cenas do filme do mercenário. Segundo reportagem do YVRSHoots, Ryan Reynolds e a equipe do longa vão ficar em Vancouver até 8 de novembro para as refilmagens. Algumas locações já usadas pela produção serão revisitadas.

No longa-metragem, Ryan Reynolds volta ao papel do anti-herói, já vivido por ele em X-Men Origens: Wolverine. A brasileira Morena Baccarin (Copycat), T.J. Miller (Fuinha), Gina Carano (Angel Dust), Brianna Hildebrand (Negasonic Teenage Warhead), Ed Skrein (Ajax) e Andre Tricoteux (Colossus) completam o elenco.

O roteiro foi escrito por Rhett Reese e Paul Wernick, dupla de Zumbilândia. A direção ficou a cargo de Tim Miller.

Ação, palavrões e muita zoeira no trailer legendado

Deadpool ainda nem foi lançado e já tem sua continuação engatilhada. Em entrevista ao Collider, Simon Kinberg revelou que a Fox já está começando a trabalhar em Deadpool 2leia mais.

Tudo sobre: Deadpool