Rooney Mara, a intérprete de Lisbeth Salander na versão americana de Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres, não foi avisada sobre a sequência, A Garota na Teia de Aranha, e nem de que NÃO estaria nela.

A Sony recomeçará do zero a franquia que seria iniciada com Millennium e sem a volta do diretor David Fincher e dos protagonistas Rooney Mara e Daniel Craig. O reboot ainda vai ignorar as duas primeiras sequências literárias e pular direto para o quarto e último volume da saga sueca, “The Girl in the Spider’s Web” (A Garota na Teia de Aranha).

“Até eu onde eu sei, eu farei o filme e ninguém me disse o contrário. E mesmo assim talvez eu apareça nele”, disse Mara em entrevista ao E!


Segundo o Hollywood Reporter, o retorno da equipe original foi descartado para reduzir os custos de produção do novo filme, e o estúdio já tem uma nova protagonista em vista. De acordo com o The Wrap, Alicia Vikander (O Agente da UNCLE, foto abaixo) seria a favorita para substituir Rooney Mara como a hacker Lisbeth Salander.

Steven Knight (Senhores do Crime, O Sétimo Filho) escreverá a adaptação de A Garota na Teia de Aranha, ainda sem cronograma definido.

Lançado em 2011, Os Homens que Não Amavam as Mulheres foi a versão cinematográfica norte-americana da popular série literária sueca – que já havia ganhado uma adaptação própria em sua terra natal – e gerou US$ 230 milhões para seu orçamento de US$ 90 milhões. O longa para maiores de idade recebeu ainda cinco indicações ao Oscar.

A Garota na Teia de Aranha foi publicado este ano por David Lagercrantz, que substituiu o criador da saga, Stieg Larsson, falecido em 2004.

No romance, Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist (feito por Daniel Craig) unem para enfrentar uma terrível ameaça aos Estados Unidos.