Nada tira Jogos Vorazes: A Esperança – O Final do topo das bilheterias norte-americanas. O filme lidera pela quarta semana consecutiva e derrotou o grande lançamento do fim de semana, No Coração do Mar.

O último filme da saga Jogos Vorazes fez mais US$ 11,3 milhões, acumulando um total de US$ 244,3 milhões nos EUA. Os números ainda estão distantes do maior faturamento da franquia, Jogos Vorazes: Em Chamas (US$ 424 milhões).

Confira a crítica do filme


A conclusão da franquia mostra a nação de Panem em plena guerra. Katniss (Jennifer Lawrence) decide montar uma resistência com um grupo de amigos próximos – incluindo Gale (Liam Hemsworth), Finnick (Sam Claflin) e Peeta (Josh Hutcherson) – para derrubar o Presidente Snow (Donald Sutherland). Eles arriscam suas vidas em uma missão para tentar assassinar o tirano líder, que fica cada vez mais obcecado em destruir Katniss. As armadilhas mortais, inimigos e escolhas morais que esperam por Katniss, porém, vão desafiá-la mais do que qualquer área que ela já enfrentou.

No Coração do Mar estreou em segundo lugar com apenas US$ 11 milhões, abertura inexpressiva para uma superprodução orçada em US$ 100 milhões.

Confira a crítica do filme

Na trama situada em 1820 e baseada no conto de Nathaniel Philbrick, que inspirou o famoso Moby Dick, o barco baleeiro de New England (EUA) Essex é atacado por algo em que ninguém podia acreditar: uma baleia de imenso tamanho e determinação, e um sentido de vingança quase humano. O desastre marítimo que ocorreu na vida real inspiraria Melville a escrever Moby Dick. Entretanto, o livro contou apenas metade da história.

No Coração do Mar revela as terríveis consequências do encontro, à medida que a tripulação sobrevivente do barco é levada aos seus limites e forçada a fazer o impensável para permanecer viva. Enfrentando tempestades, fome, pânico e desespero, os homens serão levados a questionar suas crenças mais profundas, do valor de suas vidas à moralidade de sua atividade, enquanto seu Capitão busca orientação no mar aberto e seu Imediato ainda tenta derrotar a grande baleia.

Chris Hemsworth lidera o elenco, dirigido por Ron Howard – os dois já trabalharam juntos em Rush: No Limite da Emoção. No Coração do Mar chegou ao Brasil em 3 de dezembro.

O Bom Dinossauro, nova animação da Disney, subiu uma posição e foi para o terceiro lugar com US$ 10,1 milhões. Até agora, juntou US$ 89,2 milhões nos EUA.

Animação pode se tornar o primeiro fracasso da Pixar

Na história, os dinossauros foram extintos após a colisão de um gigantesco asteróide com o planeta Terra. E se este evento não tivesse ocorrido? O filme parte desta premissa para trazer a história de dinossauros que ainda hoje controlam o planeta, narrando a amizade de Arlo (Lucas Neff), um dinossauro adolescente de 70 metros de altura, com um jovem menino humano.

Dirigido por Peter Sohn (do curta Parcialmente Nublado), O Bom Dinossauro estreia em 7 de janeiro no Brasil.

Creed: Nascido Para Lutar, filme derivado da franquia de Rocky Balboa, apareceu em quarto lugar, fazendo mais US$ 10 milhões e somando US$ 79 milhões até agora.

A trama gira em torno de Adonis Johnson (Michael B. Jordan), jovem lutador que nunca conheceu seu pai famoso, o campeão mundial dos pesos pesados Apollo Creed, que morreu antes de ele nascer. Ainda assim, não há como negar que o boxe está em seu sangue, então Adonis parte para a Filadélfia, local da lendária luta de Apollo Creed com um adversário durão chamado Rocky Balboa (Sylvester Stallone).

Uma vez na Cidade do Amor Fraternal, Adonis localiza Rocky (Sylvester Stallone) e pede para ele ser seu treinador. Apesar de insistir que está fora do universo da luta para sempre, Rocky reconhece em Adonis a força e determinação que viu em Apollo – seu rival feroz que se tornou seu amigo mais próximo. Rocky então concorda em treinar o jovem lutador, mesmo com o ex-campeão lutando contra um adversário mais mortal do que qualquer outro que já enfrentou no ringue.

Creed: Nascido Para Lutar chega ao Brasil em 14 de janeiro.

Krampus – O Terror do Natal despencou do segundo para o quinto lugar em sua segunda semana, fazendo mais US$ 7,6 milhões. O acumulado da comédia de horror é de US$ 27,7 milhões.

Na trama, quando sua problemática família entra em conflito por causa das festas, o jovem Max (Emjay Anthony) é desiludido e vira as costas para o Natal. Pouco ele sabe que essa falta de espírito natalino provocou a ira de Krampus: uma antiga força demoníaca que tem como intenção punir os que não acreditam. Um pandemônio é causado enquanto adorados ícones festivos assumem uma vida monstruosa, rodeando a casa da família desestruturada e forçando-os a lutar uns pelos outros se eles esperam sobreviver.

O roteiro e a direção ficaram a cargo de Michael Dougherty, de Contos do Dia das Bruxas e X-Men 2.

Krampus – O Terror do Natal não tem mais previsão de estreia no Brasil.