Bilheteria EUA | Deadpool mantém liderança e massacra Deuses do Egito

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deadpool manteve a liderança bas bilheterias norte-americanas pelo terceiro fim de semana consecutivo. Entre sexta (26) a domingo (28), o filme do mercenário fez mais US$ 31,5 milhões e não deu chance nenhuma ao principal lançamento da semana, Deuses do Egito. Deadpool totaliza até agora US$ 285,6 milhões nos EUA.

Deadpool chegou aos cinemas brasileiros em 11 de fevereiro e já arrecadou mais de US$ 500 milhões pelo mundo. A continuação já está confirmada e ainda não tem estreia marcada.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Crítica | Deadpool

No longa-metragem, Ryan Reynolds volta ao papel do anti-herói, já vivido por ele em X-Men Origens: Wolverine. A brasileira Morena Baccarin (Copycat), T.J. Miller (Fuinha), Gina Carano (Angel Dust), Brianna Hildebrand (Negasonic Teenage Warhead), Ed Skrein (Ajax) e Andre Tricoteux (Colossus) completam o elenco.

O roteiro foi escrito por Rhett Reese e Paul Wernick, dupla de Zumbilândia. A direção ficou a cargo de Tim Miller.

Deuses do Egito estreou em segundo lugar com apenas US$ 14 milhões, consolidando as previsões de ser o maior fracasso do ano. A fraca abertura do épico ficou bem distante do seu robusto orçamento de US$ 140 milhões.

Baseada na mitologia egípcia, a trama acompanha um herói inesperado que surge quando a humanidade está ameaçada. O impiedoso deus Set (Gerard Butler) usurpou o trono do Egito e mergulhou o império, até então pacífico, numa realidade de caos e conflito. Com apenas alguns opositores ao seu reinado, Set precisa enfrentar Bek (Brenton Thwaites), um humano corajoso que não tem medo de uma luta e pede a ajuda do deus Hórus (Nikolaj Coster-Waldau) para uma improvável aliança contra o senhor do mal.

Elodie Yung, Chadwick Boseman e Courtney Eaton também estão no elenco de Deuses do Egito, escrito pela dupla Matt Szama e Buk Sharpless, de Drácula: A História Nunca Contada.

A direção ficou a cargo de Alex Proyas (Eu, Robô). O filme chegou ao Brasil na última quinta (25).

Kung Fu Panda 3 perdeu uma posição e foi para o terceiro lugar, fazendo mais US$ 9 milhões. A animação chegou a um total de quase US$ 130 milhões nos EUA.

Na trama, quando o pai sumido de Po reaparece, a dupla parte numa viagem rumo a um secreto paraíso dos pandas e conhece dezenas de novos personagens. Mas quando o vilão sobrenatural Kai começa a varrer da existência todos os mestres de kung fu da China, Po deve fazer o impossível: treinar uma aldeia cheia de irmãos desajeitados a fim de torná-los em definitivos Kung Fu Pandas.

Alessandro Carloni e Jennifer Yuh, que já dirigiu Kung Fu Panda 2, codirigem o filme. Kung Fu Panda 3 chega ao Brasil em 17 de março.

Ressurreição, épico bíblico estrelado por Joseph Fiennes (Shakespeare Apaixonado) e Tom Felton (franquia Harry Potter), apareceu em quarto lugar com US$ 7 milhões. Em duas semanas de exibição, o filme acumulou US$ 22,7 milhões nos EUA.

Baseada na história da Ressurreição, a trama é contada pelos olhos de um não-crente, Clavius (Fiennes), um poderoso militar romano, e seu assistente Lucius (Felton). Os dois recebem a missão de desvendar o mistério sobre o que aconteceu com Jesus nas semanas após sua crucificação, com o objetivo de provar que os rumores sobre o ressurgimento do Messias são falsos e impedir uma rebelião em Jerusalém.

Kevin Reynolds (Tristão & Isolda, O Conde de Monte Cristo) coescreveu o roteiro e também assume a direção. O épico será lançado no Brasil em 17 de março.

Mais um fraco lançamento do fim de semana, Voando Alto (Eddie the Eagle), a cinebiografia do atleta Michael Edwards que tem Hugh Jackman no elenco, fechou o top 5 com apenas US$ 6,3 milhões. Foi uma estreia melhor que Deuses do Egito, ainda assim decepcionante para um longa orçado em US$ 23 milhões.

A trama acompanha a jornada do saltador de esqui Michael Edward (Taron Egerton) e sua luta para ser aceito nas Olimpíadas de Inverno de 1987 – ele foi o único representante da Grã-Bretanha na modalidade. Mas seu desempenho, porém, foi desastroso e ele ficou na 58ª e última posição após dois saltos de apenas 55 metros.

O fracasso do atleta olímpico motivou a ser criada a regra chamada Eddie the Eagle (Eddie a Águia), que exige que o atleta se mantenha no top 50 de qualquer competição internacional para se qualificar aos Jogos Olímpicos. Hugh Jackman interpreta o treinador do atleta.

Dirigido por Dexter Fletcher, o drama esportivo chega ao Brasil em 31 de março.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio