Invocação do Mal 2 assumiu a liderança das bilheterias norte-americanas, não dando chance para outros grandes lançamentos do fim de semana como Warcraft – O Primeiro Encontro de Dois Mundos e Truque de Mestre 2.

A continuação do bem sucedido terror de 2013 fez US$ 40,3 milhões, praticamente a mesma abertura do longa original (US$ 41,9 milhões) e também a melhor performance para um filme de terror desde o lançamento do primeiro filme. Com esse valor, Invocação do Mal 2 já conseguiu pagar seu orçamento de US$ 40 milhões.

Crítica | Invocação do Mal 2


Na trama, sete anos após os eventos de Invocação do Mal, o casal de investigadores paranormais Ed Warren (Patrick Wilson) e Lorraine Warren (Vera Farmiga) desembarca na Inglaterra para ajudar uma família atormentada por uma manifestação poltergeist na filha. Os eventos ocorreram na mansão Enfield e o caso ficou conhecido como um dos mais difíceis da carreira dos Warren.

James Wan, diretor do longa original, retornou para comandar Invocação do Mal 2, que chegou ao Brasil na quinta-feira (9).

Olhar Geek | Invocação do Mal 2 e as lições para se fazer um bom filme de terror

Amadeus Director's Cut Blu-ray Neutral SGNão conhece a história de Invocação do Mal nos cinemas? Tudo começou com o primeiro filme, que deu origem ao derivado Annabelle e agora o segundo longa. Descubra tudo sobre essa aterrorizante trama de possessão e exorcismo, compre já seu DVD duplo ANNABELLE e INVOCAÇÃO DO MAL!

Warcraft – O Primeiro Encontro Entre Dois Mundos já está em exibição há algumas semanas em territórios internacionais (incluindo o Brasil), mas entrou em cartaz nos EUA apenas na sexta-feira (10). Nos seus três primeiros dias, a aventura épica faturou US$ 24,4 milhões em 3.400 salas, números considerados fracos para um filme orçado em US$ 160 milhões.

No entanto, o sucesso estrondoso de Warcraft na China, onde já acumula US$ 145 milhões, aliado ao seu bom desempenho internacional (US$ 287 milhões) pode tirar o longa da sombra do fracasso e também garantir a continuidade da franquia.

Crítica | Warcraft – O Primeiro Encontro de Dois Mundos

Baseado no universo de jogos World of Warcraft, o filme acompanha o conflito gerado pelo primeiro contato entre orcs e humanos, mostrando os dois lados da história. De um lado está Anduin Lothar (Travis Fimmel), o personagem principal da Aliança, que sacrificou tudo para manter salvo o povo de Azeroth, e do outro Durotan (Toby Kebbel), o principal personagem da Horda, nobre chefe do clã Frostwolf, que batalha para salvar seu povo e sua família da extinção.

A direção ficou a cargo de Duncan Jones.

Truque de Mestre 2 garantiu o terceiro lugar com US$ 23 milhões, uma abertura 21% menor a do primeiro filme, que fez US$ 29,4 milhões em 2013.

Na trama, após enganar o FBI um ano antes, o grupo de assaltantes ilusionistas é forçado a se reunir mais uma vez para realizar uma nova série de golpes elaborados que culminarão na maior ilusão que já fizeram até agora.

Jesse Eisenberg, Woody Harrelson, Mark Ruffalo, Daniel Radcliffe e Lizzy Caplan formam o elenco.

Dirigido por Jon M. Chu (G.I. Joe 2: Retaliação), Truque de Mestre 2 chegou ao Brasil na quinta-feira (9).

As Tartarugas Ninja 2: Fora das Sombras despencou do primeiro para o quarto lugar com queda de 68% de público, acrescentando mais US$ 13,9 milhões ao seu total doméstico de US$ 60 milhões.

Megan Fox e Will Arnett reprisam os personagens April O’Neil e Vernon Fenwick. As novidades do elenco de As Tartarugas Ninja 2 são: Stephen Amell (Casey Jones), Tyler Perry (Baxter Stockman), Brian Tee (o novo intérprete do Destruidor), Gary Anthony Williams (Bebop), Mark Hamill, Laura Linney, a modelo brasileira Alessandra Ambrósio e Brad Garrett (Everybody Loves Raymond) como a voz do vilão Krang.

Com direção de Dave Green, As Tartarugas Ninja 2 já está tendo sessões de pré-estreia no Brasil, mas será lançado oficialmente em 16 de junho no país.

X-Men: Apocalipse fechou o top 5 com US$ 9,5 milhões. Em três semanas de exibição, o longa faturou um total de US$ 135,6 milhões nos EUA e mais de US$ 400 milhões pelo mundo.

Crítica | X-Men: Apocalipse

Desde o início da civilização, ele era adorado como um deus. Apocalipse, o primeiro e mais poderoso mutante do universo da Marvel, acumulou os poderes de muitos outros mutantes, tornando-se imortal e invencível. Ao acordar depois de milhares de anos, ele está desiludido com o mundo em que se encontra e recruta uma equipe de mutantes poderosos, incluindo um desanimado Magneto (Michael Fassbender), para purificar a humanidade e criar uma nova ordem mundial, sobre a qual ele reinará. Como o destino da Terra está na balança, Mística (Jennifer Lawrence), com a ajuda do Professor X (James McAvoy), deve liderar uma equipe de jovens X-Men contra o seu maior inimigo até então e salvar a humanidade da destruição completa.

A direção é de Bryan Singer, que comandou quatro filmes da franquia. X-Men: Apocalipse está em cartaz no Brasil desde 19 de maio.