Nunca mais reclame que o seu cheque de pagamento demorou para cair: o diretor de fotografia do clássico O Barco: Inferno no Mar só recebeu sua parte dos lucros 35 anos depois do lançamento do filme, que inicialmente chegou aos cinemas em 1981.

O alemão Jost Vacano, de 82 anos, ficou conhecido por seu trabalho com o diretor Paul Verhoeven em filmes como O Vingador do Futuro, Tropas Estelares e RoboCop, mas levou indicação ao Oscar mesmo por seu trabalho em O Barco, um hit surpresa do cinema alemão que arrecadou mais de US$100 milhões ao redor do mundo.

Após uma mudança na lei de compensação por trabalho da Alemanha, que agora garante que profissionais pagos “um valor desproporcional ao eventual sucesso do filme” possam exigir mais dinheiro na justiça, Vacano conseguiu uma decisão favorável em que o estúdio precisará lhe pagar US$540.000 pelo trabalho, e garantir que 2,25% dos futuros lucros com o filme também sejam direcionados ao cinematógrafo.


Em 1981, o diretor de fotografia foi pago apenas US$200.000 por seu trabalho no filme que revelou o diretor Wolfgang Petersen (Tróia).