A peça Harry Potter and the Cursed Child ganhou manchetes antes mesmo de estrear em Londres. A continuação da franquia do bruxo, escrita com a bênção de J.K. Rowling, escalou uma atriz negra para interpretar Hermione, personagem feita por Emma Watson nos filmes.

A autora Rowling já havia se manifestado anteriormente sobre a polêmica feita pelos fãs em torno dessa decisão de elenco, dando seu apoio à escalação. Agora, em entrevista ao The Observer, a escritora voltou a comentar a reação de alguns fãs, os chamando de “um bando de racistas”.

“Teve um bando de racistas que me disse que, por causa de uma passagem do livro em que eu escrevi que Hermione ‘ficou branca’ de choque, ela teria que ser interpretada por uma mulher branca”, disse a autora. “Mas eu decidi não me prender muito a isso e simplesmente dar minha benção completa ao fato de que Hermione pode ser interpretada por uma mulher negra”.


“É a internet. Idiotas vão fazer idiotices”, finalizou Rowling.

Nova peça de teatro da franquia vai fazer fãs chorarem, diz J.K. Rowling

Na peça, enquanto Harry luta contra um passado que se recusa a ficar no passado, seu filho mais novo, Alvo Potter, precisa lidar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. Enquanto passado e presente começam uma sinistra fusão, pai e filho aprendem uma verdade desconfortável: às vezes a escuridão vem de lugares inesperados, diz a sinopse de Harry Potter and the Cursed Child.

Dividido em duas partes, o espetáculo começa a exibir sua primeira parte em Londres em 30 de julho.

Além disso, o universo de Harry Potter também ganhará um filme derivado, Animais Fantásticos e Onde Habitam. Com estreia marcada para novembro deste ano, o longa servirá como o início de uma trilogia derivada. As estreias dos próximos filmes vão acontecer em 2018 e 2020.

Filme derivado vai virar livro