O diretor Kleber Mendonça Filho não se conforma com a classificação indicativa “para maiores de 18 anos” dada ao seu filme Aquarius, estrelado por Sônia Braga e aplaudido em Cannes.

Segundo o jornal O Globo, a classificação foi atribuída por “situações sexuais complexas”, mesmo que o diretor negue veementemente que o filme tenha qualquer conteúdo que justifique a decisão.

“Surpresos com a Censura ’18 anos’ dada a Aquarius pelo Ministério da Justiça. É incrível ver que Aquarius está se tornando o filme mais controvertido do ano, aparentemente por celebrar a vida de maneira generosa, por ter um ponto de vista social e político forte e ainda trazer como personagem principal essa coisa assustadora para muita gente que é uma mulher forte, que não leva desaforo para casa”, escreveu a produção do filme no Facebook.


Elenco de Aquarius protesta contra impeachment em estreia do filme em Cannes

Na trama de Aquarius, Sônia Braga interpreta uma senhora que se recusa a se mudar do seu apartamento mesmo quando se torna a última moradora do prédio, que uma companhia quer comprar para demolir. A personagem jura que só sairá de sua casa quando estiver morta.

A Netflix comprou os direitos de distribuição internacional do filme, mas no Brasil o longa sai no dia 1º de setembro nos cinemas.

Confira o trailer do filme aqui