Star Wars, o original de 1977, hoje em dia conhecido como Episódio IV – Uma Nova Esperança, quase teve uma sequência bem diferente de O Império Contra-Ataca, o famosamente amado segundo filme da franquia lançado em 1980.

Confira uma prévia da atração de Star Wars no parque da Disney aqui

Segundo uma entrevista do escritor Alan Dean Foster para a Yahoo Movies, antes mesmo do lançamento do primeiro filme ele foi contratado por George Lucas para escrever Splinter of the Mind’s Eye, mais tarde lançado como um livro de “expansão” do universo, mas originalmente planejado como uma continuação em forma de filme.


Em Splinter, só vemos Luke, Leia e Darth Vader – isso porque Harrison Ford ainda não havia assinado contrato para reprisar o papel de Han Solo em uma possível continuação. Na trama, Luke e Leia caem em um planeta pantanoso e são ajudados por uma velha senhora, Halla, a encontrar um artefato capaz de aumentar o poder da Força.

Cantina famosa da franquia pode ser visitada por fãs nos EUA

O problema é que Vader aparece, e em uma luta de sabres de luz Luke acaba cortando seu braço, salvando Leia no processo – como Lucas ainda não havia decidido que Luke e Leia seriam irmãos, ou que Vader seria pai de Luke, nada disso é mostrado no livro.

Aparentemente, Splinter of the Mind’s Eye era o “plano B” de Lucas, que queria continuar passeando pelo universo de Star Wars mesmo se o original fosse um fracasso – o que, como sabemos, obviamente não aconteceu.

Confira a capa do livro abaixo: