Mulheres representam um terço dos personagens nos filmes mais rentáveis

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um novo estudo publicado pela Universidade do Sul da Califórnia (via The Wrap) aponta que mulheres representam apenas um terço dos personagens nos 100 filmes mais rentáveis do ano passado.

Segundo a pesquisa, intitulada “Desigualdade em 800 filmes”, dos 4.370 de personagens com falas ou que foram mencionados em longas-metragens, 68,6% são masculinos e 31,4% femininos – ou seja, a cada 2,3 personagens, 1 é uma mulher. Esses números não mudam desde 2007.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No entanto, dos 100 maiores filmes lançados em 2015, 32% tiveram protagonistas mulheres, um aumento de 11% em relação ao ano anterior.

Além disso, o estudo revelou que mulheres aparecem em mais cenas sensuais do que homens, com 30,2% personagens contra 7,7% vistos em roupas provocantes, e 29% das mulheres versus 9,5% dos homens envolvidas em cenas de nudez.

“Os resultados revelam que Hollywood é um epicentro da desigualdade cultural”, afirma o autor da pesquisa, o Professor Stacy L. Smith, no site da universidade. “Enquanto vozes que clamam por mudanças têm aumentado em número e volume, existe pouca evidência de que essa transformação tem acontecido nos filmes que vemos e nas pessoas contratadas para fazê-los. Nossos relatórios demonstram que os problemas são generalizados e sistêmicos”, finalizou.

Outros dados preocupantes também foram expostos: menos de 1% de todos os quase 4.400 personagens analisados são identificados como LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais), 2,4% personagens apresentam algum tipo de deficiência e 26,3% dos personagens representam minorias étnicas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio