Super-heróis são superados por animais falantes na bilheteria de 2016

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com o verão americano já no passado, vale parar e pensar em quem fez sucesso e quem não conseguiu alcançar o esperado. Especialmente em um ano lotado de blockbusters, o verão americano foi cheio de fracassos inesperados e pequenos problemas para estúdios e produtores.

Os super-heróis começaram bem o ano com Deadpool, que arrecadou US$782 milhões com um orçamento em torno de US$60 milhões, um retorno enorme para a Fox que prova que arriscar é o caminho. Ou nem sempre – Batman vs Superman, que arriscou uma versão mais ousada e sombria dos heróis, fez só US$872 milhões para um orçamento inflado de US$250 milhões – não é um fracasso, mas não fez tudo o que a Warner/DC esperava.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deadpool 2 | “Confiem no diretor”, diz criador do personagem sobre Cable

Esquadrão Suicida está entre os cinco filmes mais rentáveis do ano

Enquanto isso, Esquadrão Suicida segue no caminho para se tornar um sucesso. Custando US$175 milhões, o filme se aproxima dos US$700 milhões de bilheteria e teve gasto menor de publicidade, além de mais lucro em produtos licenciados. É um sucesso em qualquer sentido da palavra.

O filme de super-herói gigante do ano, no entanto, foi Capitão América: Guerra Civil, que fez mais de US$1 bilhão com seu orçamento de US$250 milhões. É a quarta maior bilheteria da Marvel e a maior do ano até agora.

No entanto, olhar as perdas e ganhos do gênero dos super-heróis é risível se compararmos com o sucesso que quase todos os lançamentos de animação fizeram esse ano. Basta olhar para Zootopia, que também passou de US$1 bilhão e quase encostou em Guerra Civil, mas custou US$150 milhões, cem a menos que o filme do herói da Marvel.

A Disney triunfou também em Mogli – O Menino Lobo, que usou só um ator humano e animais falantes feitos por animação. Com US$964 milhões de bilheteria, o filme custou por volta de US$175 milhões e ganhou os reviews mais empolgados do verão americano.

Também elogiado, Procurando Dory provou, em ano de fracasso de Alice Através do Espelho e Tartarugas Ninja 2, que continuações ainda podem funcionar – se tiverem animais falantes nelas. US$945 milhões para apenas US$175 milhões de orçamento – a Disney vai relançar o filme para tentar alcançar US$1 bilhão.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio