O produtor Andrew Kreisberg, que comanda Supergirl desde a primeira temporada na CBS, e agora na “mudança” para a CW, conversou com a Entertainment Weekly sobre a diferença entre conduzir a série nos dois canais.

“Eu acho que, em algum nível, a principal mudança é que há um aspecto de quadrinhos mais forte na segunda temporada. Faremos uma série um pouco mais nerd na CW, que é uma emissora estabelecida para esse tipo de produção. Ao mesmo tempo, acho que essa mudança é também natural da forma como a série evoluiu e como nós evoluímos na forma como lidamos com a personagem”, comentou Kreisberg.

“A proposta que fizemos para CW não é tão diferente daquela que fizemos para a CBS, para ser sincero. Haverá uma mudança na série que os fãs vão notar, mas ela é uma progressão natural de uma série que está amadurecendo. Fomos abençoados, em The Flash, com uma série que descobriu o que queria e podia ser muito cedo. Com Supergirl o processo é mais parecido com Arrow, que demorou para achar seu lugar”, disse ainda.


Supergirl terá inveja da popularidade do Superman na série
Vídeo do set mostra luta de Superman com Metallo
Supergirl | Primeiras imagens da irmã de Lex Luthor na série

Em seu retorno à TV americana, Supergirl estará em uma nova emissora – da CBS, passará a ser exibida pela The CW, casa de outras séries de super-heróis, como Arrow, The Flash e Legends of Tomorrow. A série da prima do Superman, no entanto, manterá o seu dia e horário de exibição: segundas, às 20h.

Supergirl retorna dia 10 de outubro nos EUA.