Paul Verhoeven, o polêmico diretor holandês que passou por Hollywood durante os anos 80 e 90, deixando clássicos como Instinto Selvagem e Robocop, voltou a atacar a terra do cinema em entrevista com a AFP.

“Se você diz que o filme precisa ser PG-13 [permitido para menores], e os estúdios hoje em dia dizem, há muitas coisas que você não pode fazer. Você não pode ser provocativo, controverso, ou erótico de uma maneira direta”, comentou.

“Como resultado, os filmes mostram tudo isso, mas de forma elíptica, sugestiva, ou algo assim. Os filmes se tornaram muito neutros e não te desafiam de forma nenhuma”, criticou ainda.


“Eu fugi para a França porque nada em Hollywood me desafiava. Falta sexo. Por que se importar com isso se não estou sendo desafiado?”, completou.

Veja a crítica do filme mais recente de Verhoeven, Elle