Longa Tabu é escolhido como um dos cem melhores filmes do século XXI; ator Ivo Müller integra o elenco

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com direção do português Miguel Gomes e a participação do ator brasileiro Ivo Müller, o longa Tabu, 2012, foi escolhido como um dos 100 melhores filmes do século 21 pela BBC Culture. O filme é uma coprodução entre Brasil, Portugal, Alemanha e França e ocupa a posição 71 de acordo com uma seleção composta por 62 críticos. Já a revista dinamarquesa Les Inrocks deu a Tabu a posição 25 de acordo com a lista da inicial da BBC.

Tabu já conquistou alguns prêmios e integrou a lista de alguns festivais, entre eles, o 62º Festival Internacional de Cinema de Berlim (Alemanha 2012) – Seleção Oficial em Competição: Prêmio Alfred Bauer e FIPRESCI; 13º Festival Internacional de Cinema de Las Palmas (Gran Canaria 2012) – Prêmio Lady Harimaguada de Prata Prêmio do Público; 10º Festival Paris Cinéma (França 2012) – Coup de Coeur du Jury Prix du Jury des bloggers et du web; 3º Avvantura Festival – FilmForum Zadar (Croácia 2012) – Melhor Realizador Festival Internacional de Cinema de Gante (Bélgica 2012) – Grand Prix para Melhor Filme; Festival do Rio 2012 e a 36ª Mostra Internacional de São Paulo 2012.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Rodado em 2011, o filme participou de mais de 40 festivais ao redor do mundo como China, Reino Unido, Israel e Itália.

“A lista tem obras de caras tão importantes na minha formação: Godard, David Lynch, Woody Allen, Wong Kar Wai, Spielberg! E Miguel Gomes, levo o que aprendi com esse cara para todos os filmes que faço e ainda vou fazer”, afirma Ivo que está viajando com duas peças de teatro – Caros Ouvintes, em Goiânia e Huis Clous – A Portas Fechadas, pelo interior de São Paulo.

Tabu: Aurora é um idosa temperamental que divide o andar de um prédio em Lisboa com sua empregada cabo-verdiana, e uma vizinha dedicada a causas sociais. Quando Aurora morre, as outras duas passam a conhecer um oculto episódio do seu passado: Uma história de amor e crime vivida numa África de filme de aventuras, que conta também a história do início do fim do império de Portugal no continente africano.

Direção: Miguel Gomes. Elenco: Ivo Müller, Teresa Madruga, Laura Soveral, Ana Moreira, Henrique Espirito Santo, Carloto Cotta e Manuel Mesquita. Preto e Branco. 2012. Brasil, Portugal e Alemanha.

Ivo Müller:

Chamou atenção de público e crítica em 2012, quando fez parte do longa português “Tabu”, dirigido por Miguel Gomes. O filme foi premiado no Festival de Cinema de Berlim. No teatro, atuou na primeira versão da premiada montagem de “Doze Homens e Uma Sentença”, dirigida por Eduardo Tolentino/Grupo TAPA. Além do TAPA, passou também pelo CPT, o Centro de Pesquisa Teatral, do diretor Antunes Filho. Nos EUA, estudou no Susan Batson Studio com o ator e preparador de elenco, Clark Middleton. No cinema brasileiro, já interpretou vilões como o Pastor Kurtz, em “Oração do Amor Selvagem”, filme estrelado pelo ator Chico Diaz, e o Barão do Mel, em o “Diabo Mora Aqui”, um filme de terror brasileiro, dirigido por Rodrigo Gasparini e Dante Vescio, projeto que lhe garantiu a indicação de melhor ator coadjuvante no FilmQuest 2016, nos Estados Unidos.

Müller segue em turnê pelo interior paulista com a peça “Huis Clos – A Portas Fechadas”, por Goiânia com Caros Ouvintes, e, na TV, integra o elenco da série médica “Unidade Básica”, do Universal Channel exibido aos domingos às 22h. Ivo acaba de conquistar o prêmio de melhor vilão da sétima edição do Cinefantasy – Festival Internacional de Cinema Fantástico – por sua atuação em “Diabo Mora Aqui”, lançado em julho deste ano. O ator também em cartaz na 32ª Bienal de São Paulo – Incerteza Viva com o filme “Os Humores Artificiais”, do artista português Gabriel Abrantes, que pode ser assistido até dezembro nos pavilhões da Bienal.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio