Globo de Ouro 2017 | Quem vai (e quem deveria) ganhar os principais prêmios da noite

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Tentar prever o Globo de Ouro é algo infrutífero na maioria das vezes, mas conforme a Associação de Críticos Estrangeiros em Hollywood ganha gosto por surpreender o público com suas escolhas, também se torna um pouco mais fácil encontrar o caminho que eles estão seguindo dessa vez. Em 2017, surpresas não faltaram nas indicações, e certamente não vão faltar nos vencedores – corajosamente, o Observatório do Cinema mesmo assim vai tentar prever o que acontece na noite do domingo (08).

Até o Último Homem

Melhor Filme  – Drama

Dos cinco indicados, os favoritos óbvios em qualquer outra situação seriam Moonlight e Manchester a Beira Mar, mas esse é o Globo de Ouro, e o cheirinho de fama aclamada pela crítica deve render o prêmio para Até o Último Homem – é uma aposta tão segura quanto qualquer outra do Globo de Ouro, ou seja: nem um pouco segura.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O filme de Mel Gibson tem ganho prêmios internacionais mais do que domésticos, e vale lembrar que o Globo de Ouro é votado por jornalistas estrangeiros que trabalham em Hollywood. Ao contrário do Oscar, o Globo não tem o que provar em termos de diversidade, o que talvez diminua o caso a favor de Moonlight, mesmo esse sendo o filme mais aclamado do ano – e com quem definitivamente nossa torcida está.

La La Land

Melhor Filme – Comédia/Musical

Esse é barbada, mesmo no Globo de Ouro: La La Land vai levar. Surpreendentemente, talvez a única ameaça ao reinado do filme de Damien Chazelle seja Deadpool, mas não vemos isso acontecendo nem no prêmio mais irreverente de Hollywood – essa ainda é uma festa da aristocracia prestigiada, afinal.

Se você perguntar nossa torcida, com certeza amamos Sing Street, um delicioso “musical” irlandês sobre amadurecimento com incríveis performances dos atores juvenis e do coadjuvante Jack Reynor, que absolutamente deveria estar indicado em sua categoria.

Denzel Washington e Viola Davis em Fences

Melhor Ator/Atriz – Drama

A categoria masculina fica entre Casey Affleck (Manchester A Beira Mar) e Denzel Washington (Fences), com esse último aparecendo em vantagem graças à boa reputação na indústria. Affleck tem um passado obscuro (incluindo acusações de abuso), mas a crítica tem celebrado sua performance unanimemente. Nossa torcida? Viggo Mortensen, que está absolutamente superlativo em Capitão Fantástico – seria uma vitória da sutileza.

Na categoria feminina, Natalie Portman (Jackie) é a favorita desde que os primeiros reviews chegaram, mas a ausência do filme nas outras categorias pode enfraquece-la e abrir espaço para Amy Adams (A Chegada). Seria bacana, no entanto, ver a francesa Isabelle Huppert levar por seu papel ousado em Elle.

Emma Stone em La La Land

Melhor Ator/Atriz – Comédia/Musical

É estranho dizer isso, mas o favorito na categoria masculina cômica parece ser Ryan Reynolds por sua performance por Deadpool – fortalecido pelas vitórias no Critics’ Choice Awards e pela fraca concorrência, ele pode fazer história ao ganhar por um filme de super-heróis. Nossa torcida pessoal está com Colin Farrell, que faz um trabalho subestimado em O Lagosta.

A categoria feminina é mais fácil de acertar, com Emma Stone (La La Land) sendo a clara favorita, tanto aqui quanto no Oscar de Melhor Atriz. É difícil conceber qualquer uma das outras candidatas “roubando” o prêmio dela, mas somos fãs incondicionais da excelente Hailee Steinfeld, de Quase 18, então quem sabe.

Mahershala Ali em Moonlight

Melhor Ator/Atriz Coadjuvante

Mahershala Ali (Moonlight) e Viola Favis (Fences) tem essas categorias na mão, se nenhuma surpresa absurda vier. Michelle Williams (Manchester A Beira Mar) era a favorita na categoria feminina antes de Davis anunciar que estaria concorrendo como coadjuvante, mas é difícil vê-la ganhando em cima da performance poderosa de sua colega.

Já na categoria masculina, talvez Jeff Bridges (A Qualquer Custo) represente algum tipo de ameaça ao reinado de Ali, mas mesmo os votantes do Globo de Ouro não tirariam o troféu de uma das grandes revelações do ano para dar a veterano já premiado múltiplas vezes.

Mel Gibson

Melhor Direção

Talvez tristemente, o Globo de Ouro  perdoou as transgressões passadas de Mel Gibson e deve concedê-lo o prêmio da categoria por Até o Último Homem – é uma discussão interessante a se ter, quando grandes premiações escolhem “perdoar” ou não perdoar determinados artistas por questões de sua vida pessoal. Um debate extenso que fica para outra hora.

Pessoalmente, nossa torcida está com Damien Chazelle, que criou mágica com seu La La Land e representa uma geração brilhante de novos talentos em Hollywood – que incluem também seu colega indicado, Barry Jenkins (Moonlight).

A multidão de personagens de Zootopia

Melhor Animação

A essa altura do campeonato, parece óbvio que Zootopia, animação da Disney, vai vencer o prêmio para o estúdio tanto aqui quanto no Oscar. O triunfo da casa do Mickey é só mais um para o seu currículo, mas é impossível não lamentar que as grandes premiações continuem recompensando o mesmo tipo de animação quando um cenário tão rico existe no mundo.

Kubo e as Cordas Mágicas, por exemplo, é uma produção absurdamente bela da Laika, que conquistou os melhores reviews da categoria no ano. Já o suíço My Life as Zucchini tem um visual único e uma história doce e simples – o tipo de animação diferente e fascinante que premiações deveriam reconhecer mais.

Westworld

Melhor Série – Drama/Comédia

Em resumo: aposte nas novatas. Não só Game of Thrones nunca ganhou o prêmio de Melhor Série – Drama do Globo de Ouro, como os votantes parecem mais chegados em títulos como This is Us, que virou fenômeno de audiência. Se o drama da NBC não levar, aposte em Westworld, que tem aquela aura de futuro marco da cultura pop que o Globo adora premiar.

Na comédia, a mesma regra está valendo: criticamente aclamada, Atlanta deve levar para casa o prêmio – se Transparent ou a vencedora do ano passado, Mozart in the Jungle, não atrapalharem.

Winona Ryder em Stranger Things

Melhor Atriz/Ator em Série – Drama

Rami Malek em Mr. Robot é a aposta da vez na categoria masculina, com pouca ou nenhuma resistência vinda de Bob Odenkirk (Better Call Saul) e os outros indicados correndo bem por fora. A categoria feminina, por sua vez, é mais complicada.

Por ser mais reconhecida que suas concorrentes, e por ser uma história de “volta por cima” na carreira que o Globo de Ouro adora, Winona Ryder (Stranger Things) pode ter a vantagem, mas Evan Rachel Wood chega forte pela performance em Westworld.

Issa Rae em Insecure

Melhor Atriz/Ator em Série – Comédia/Musical

Mais desimpedido do que no ano passado, Jeffrey Tambor deve levar seu segundo prêmio por Transparent na categoria masculina – é difícil ver qualquer um de seus concorrentes levando o prêmio, com exceção talvez de Donald Glover, pela força de Atlanta como série aclamada pela crítica.

Na categoria feminina, vamos apostar que a “tradição” de dar o prêmio para estreantes (Gina Rodriguez e Rachel Bloom levaram os últimos) continue, e a maravilhosa Issa Rae seja a escolhida por seu trabalho em Insecure.

Sterling K. Brown em American Crime Story

Melhor Ator/Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme

Sterling K. Brown está vencendo tudo por sua atuação em American Crime Story, e duvidamos que aqui seja diferente – na categoria feminina, sua única concorrência séria é provavelmente uma segunda vitória de Christian Slater por Mr. Robot, mas não estamos apostando nossas fichas nisso.

Entre as mulheres, a estreante Chrissy Metz (This is Us) pode surpreender, mas a vitória esperada seria a de Thandie Newton, que impressionou em Westworld e já levou o Critics’ Choice Awards.

Sarah Paulson como Marcia Clark em The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Categorias de Minissérie ou Filme

Aposte, absolutamente, no domínio de American Crime Story aqui. Nem mesmo a força de The Night Of pode tirar o Globo de Ouro das mãos da equipe de produção, ou de Sarah Paulson (Melhor Atriz em Minissérie ou Filme) e Courtney B. Vance (Melhor Ator em Minissérie ou Filme).

O trabalho de Riz Ahmed em The Night Of, no entanto, sem dúvida merece apreciação. Talvez o Globo de Ouro esteja ansioso para concedê-lo esse reconhecimento, e Vance vá para a casa de mãos abanando.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio