Você já deve ter visto, ao menos por imagens, máquinas fotográficas antigas, com o flash bem separado da câmera, apoiado em um cilindro metálico. Se não conhece, logo adiante você terá uma imagem delas. Mas o que pouca gente sabe é que foi exatamente desse modelo de câmera que surgiram os sabres de luz como os conhecemos hoje.

Star Wars iniciou sua franquia ainda em 1977 com um orçamento extremamente pequeno, o que fazia a produção reduzir ao máximo seus gastos. A situação difícil fez os responsáveis pelo design de produção reparar que a haste do flash dessas câmeras antigas (até então muito baratas) poderia ser bem útil depois de alguns ajustes. E foi assim que nasceu o sabre de luz de Luke Skywalker – através de um flash de uma câmera antiga. Veja abaixo.

CAMERA


Dessa forma, dois sabres de luz custaram à produção cerca de US$ 15, algo como R$ 46. Quase nada. Anos depois, o Museu de Cultura Pop de Seattle comprou o sabre de Luke por nada menos do que US$ 250 mil (R$ 777 mil). É o segundo artefato mais caro do museu, que desprendeu US$ 270 mil (R$ 839 mil) pela blaster usada em Blade Runner.

Hoje, tal tipo de flash vintage tornou-se extremamente caro, uma vez que há, além da demanda de colecionadores de câmeras, a demanda de fãs de Star Wars à procura do sabre de luz perfeito. Uma única máquina do modelo pode ser encontrada no e-bay por US$ 1.532 mil – quase R$ 5 mil.