Logan, terceiro filme solo do Wolverine, fez a sua estreia oficial nos cinemas durante o Festival de Filmes de Berlim, e recebeu muitos elogios de público e crítica. Abaixo, veja o que algumas publicações acharam do novo longa do mutante:

Chris Nashawaty (Entertainment Weekly):

Logan é essencialmente um road movie (termo usado em filmes sobre viagens), mas mais sombrio. Mais do que nunca, o Wolverine de Jackman parece estar em uma encruzilhada existencial. Não há muita esperança no filme. As apostas não são grandiosas, ninguém está salvando o mundo. Eles estão salvando apenas esta pequena – e violneta – criança. Desde que os dons mutantes de Laura são tão idênticos aos de Logan, há uma melancolia em seu relacionamento. Ela é a filha que ele nunca se permitiu o suficiente para ter. O viajante solitário precisa aprender a colocar outra pessoa em primeiro lugar”.


Mike Ryan (UPROXX):

“Você provavelmente verá muitos posts na internet onde as pessoas classificam seus filmes favoritos de super-heróis e agora tentarão encaixar Logan nessa lista em algum lugar – em uma posição alta, provavelmente. Para mim, eu tenho problema de chamar Logan um filme de super-herói. Me parece mais um filme como Rambo do que como Homem-Formiga. Se nada mais, Logan tenta ser o filme de super-herói mais “realista”. E ele captura um nível de realismo que eu realmente não vi antes neste gênero”.

Sheri Linden (The Hollywood Reporter):

“Mesmo quando a energia do filme se esvazia no final, bem como os poderes de cura de Logan, e muito depois que as cenas de luta ficaram exageradas, Jackman torna seu super-herói o verdadeiro negócio. O ator, que supostamente concebeu o impulso básico da história, leva o incomparável Logan / Wolverine a profundidades cheias de sangue, eo resultado é um filme muito mais coeso e emocionante do que o anterior”.

Owen Gleiberman (Variety):

“Nenhum filme dos X-Men será ótimo (o material é muito derivado), mas Jackman, embora ele seja o Superman do grupo, foi mais fundo na alienação do que qualquer outro mutante na série. O final de Logan é genuinamente tocante, já que Jackman permite que você sinta a força e a dor do personagem e, finalmente, sua libertação “.

Kevin Jagernauth (Playlist):

“Desprendidos de qualquer obrigação de se conectar a um universo expandido, Mangold e Jackman finalmente criaram um filme de Wolverine que segue seus fios narrativa até os seus fins orgânicos. A franquia X-Men sempre passou a mensagem de que não tem problema em ser diferente e abraçar as mesmas coisas que o fazem ser diferente. Levou muito tempo, mas os cineastas finalmente seguiram esse conselho, o que resultou em Logan, um filme de Wolverine que bate bravamente em seu coração”.

Matt Goldberg (Collider):

Logan é um filme único. Não é uma mudança de jogo para a franquia X-Men ou o gênero super-herói como um todo. Realmente, só poderia ser feito com Jackman atuando e com a autoridade dada a Mangold para apresentar uma visão clara, intransigente do personagem. O resultado é um filme que tem algumas falhas (como a maioria dos filmes X-Men, é um pouco longo demais), mas, em geral, Logan dá uma despedida digna a Jackman e ao personagem que ele definiu para uma geração”.

Matt Singer (ScreenCrush):

“O ímpeto de Logan definitivamente se inclina para o final, mas há alguns toques agradáveis ​​também (incluindo um tiro final que é absolutamente perfeito). Houve alguns filmes de super-heróis com classificação alta ao longo dos anos, mas Logan pode ser o primeiro que não usa simplesmente uma classificação de adulto para afogar o espectador em ‘conteúdo adulto’; É uma consideração madura das idéias subjacentes a seus motivos dos quadrinhos. Também é facilmente o melhor filme de Wolverine dos três, e uma impressionante despedida para a versão de Jackman do personagem”.

Alonso Duralde (The Wrap):

“É uma jornada que já vimos antes, mas Mangold a torna divertida (e um pouco longa). Talvez seja apenas a novidade, mas que a violência explícita e linguagem salgada (Professor Xavier acaba por ser bastante boca-suja também) adiciona um toque diferente muito necessário para a sub-franquia Wolverine”.

Logan mostrará o mutante e o Professor Charles Xavier tentando lidar com a perda dos X-Men enquanto tentam impedir uma corporação liderada por Nathaniel Essex de destruir o mundo. As habilidades mutantes de Logan estão cansadas e o Alzheimer do Professor Xavier está fazendo-o esquecer dos X-Men, e Logan acaba se aliando à Laura Kinner, clone feminino de Wolverine, para encontrar Nathaniel.

Boyd Holbrook (Narcos) faz o vilão principal, e Richard E. Grant, Eriq Lasalle e Elise Neal completam o elenco de Logan, que será proibido para menores de 18.

Dirigido por James Mangold (Wolverine – Imortal), Logan chegará aos cinemas brasileiros em 2 de março.