Rei Arthur: A Lenda da Espada, filme com direção de Guy Ritchie (Sherlock Holmes) e Charlie Hunnam (Sons of Anarchy) no papel titular, pode iniciar um universo compartilhado do personagem na Warner. A possibilidade foi levantada pelo roteirista/produtor Lionel Wigram em entrevista ao Collider.

Segundo ele, a produção pode dar origem a filmes solos de Lancelot, Merlin, e outros personagens das histórias do Rei Arthur: “Acredito que seguimos uma direção bem clara, mas com uma referência ou easter egg de alguma outra coisa no meio”, afirmou. “A ideia inicial da franquia era ter histórias de origens separadas para Rei Arthur, Lancelot, Merlin… então não descartaria a possibilidade [de um universo cinematográfico] acontecer. Vamos ver como esse filme sai primeiro. Mas caso exista a oportunidade de continuar, certamente será muito divertido, principalmente após já termos estabelecido esse mundo”, finalizou.

O novo filme do Rei Arthur apresenta uma jovem versão do herói (interpretada por Charlie Hunnam), que controla as ruas escuras e becos da cidade de Londonium com sua gangue, sem imaginar a vida para a qual nasceu até agarrar a espada Excalibur – e com ela, seu futuro. Imediatamente desafiado pelo poder de Excalibur, Arthur é forçado a fazer escolhas difíceis. Junto com a Resistência e uma misteriosa jovem chamada Guinevere (Astrid Bergès-Frisbey), ele precisa aprender a dominar a espada, enfrentar seus demônios e unir o povo para derrotar o tirano Vortigern (Jude Law), usurpador do trono e assassino de seus pais, para finalmente tornar-se rei.


Djimon Hounsou (Diamante de Sangue e Terra dos Sonhos) está no elenco como o líder da Resistência, Bedivere; Aidan Gillen (Game of Thrones) como Goosefat Bill; e Eric Bana (Star Trek) como o pai de Arthur, Rei Uther Pendragon, completam o elenco.

O roteiro foi escrito por Joby Harold (Awake – A Vida por Um Fio). Rei Arthur: a Lenda da Espada chegará ao Brasil em 18 de maio.