A Bela e a Fera | Ian McKellen diz que filme da Disney é uma “extravagância gay”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ian McKellen tirou sarro com a controvérsia sobre a inclusão de um personagem gay em A Bela e a Fera, durante a première do filme em Nova York, na noite desta segunda (13).

Esta versão com atores da animação da Disney, em que McKellen interpreta o relógio Cogsworth, reuniu o ator com o diretor Bill Condon após Deuses e Monstros (1998), drama sobre o cineasta homossexual James Whale – o currículo de Condon também inclui Dreamgirls e dois filmes da Saga Crepúsculo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No evento, Ian McKellen, gay assumido, brincou dizendo que A Bela e a Fera marca “outra extravagância gay” do diretor. A frase do veterano ator arrancou risos e aplausos do público presente.

Bill Condon já havia adiantado que o filme, que introduzirá o primeiro personagem abertamente gay da Disney, terá um “momento exclusivamente gay”, mas pequeno, entre o personagem e seu mentor, Gaston (Luke Evans).

Independente do seu tamanho, o tal momento causou a maior polêmica após ser anunciado e vem se tornando o centro das atenções na campanha promocional de A Bela e a Fera que, por conta do personagem, vai receber classificação indicativa de 16 anos na Rússia – leia aqui.

Na versão live-action de A Bela e a Fera, além de Emma Watson como Bela, completa o elenco: Dan Stevens (como Fera), Ewan McGregor, Luke Evans, Ian McKellen, Emma Thompson, Josh Gad, Stanley Tucci e Kevin Kline. Stephen Chbosky (As Vantagens de Ser Invisível) escreve o filme, dirigido por Bill Condon (Dreamgirls).

A Bela e a Fera chegará ao Brasil no dia 16 de março.

Emma Watson explica que sua Bela “não tem mais Síndrome de Estocolmo”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio