A Bela e a Fera | Rússia é pressionada a banir filme por suposta “propaganda gay”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Segundo a Variety, o governo russo está sendo pressionado a banir o filme com atores de A Bela e a Fera por supostamente violar uma lei de 2013 que proíbe a “propaganda gay” voltada para crianças.

Nesta versão do diretor Bill Condon, LeFou (Josh Gad), o primeiro personagem abertamente gay da Disney, sente atração por seu mentor Gaston (Luke Evans). Em entrevista anterior, o cineasta adiantou que os dois até chegam a ter um “momento juntos” no filme.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Vitaly Milonov, legislador do partido Rússia Unida, pediu ao ministro da Cultura, Vladimir Medinsky, que veja o filme antes de seu lançamento no dia 16 de março para verificar se ele está em conformidade com a lei e, se necessário, proibir sua exibição caso sejam encontrados “elementos de propaganda da homossexualidade”.

“Assim que conseguirmos uma cópia do filme com documentos relevantes para distribuição, vamos considerá-lo de acordo com a lei”, respondeu Medinsky.

Durante a estreia mundial de A Bela e a Fera em Los Angeles, o ator Josh Gad afirmou que se sente “orgulhoso” de interpretar o primeiro personagem gay em um filme da Disneyleia aqui.

Cinema desiste de exibir filme por conta de personagem gay

Na versão live-action de A Bela e a Fera, além de Emma Watson como Bela, completa o elenco: Dan Stevens (como Fera), Ewan McGregor, Luke Evans, Ian McKellen, Emma Thompson, Josh Gad, Stanley Tucci e Kevin Kline. Stephen Chbosky (As Vantagens de Ser Invisível) escreve o filme, dirigido por Bill Condon (Dreamgirls).

A Bela e a Fera chegará ao Brasil no dia 16 de março.

Emma Watson explica que sua Bela “não tem mais Síndrome de Estocolmo”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio