A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell | Apesar da polêmica, público japonês recebeu bem a adaptação

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após o lançamento do live action de Ghost in the Shell nos cinemas, pela Paramount, e de todas as polêmicas nas quais o mesmo se envolveu por acusações de racismo, para surpresa de muitos, o público japonês gostou bastante do filme.

Levando em consideração que muitos motivos da polêmica eram pela falta de orientais no elenco de uma adaptação oriental, a notícia pode até soar estranha para alguns.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

De acordo com o Yahoo Japans Movies, o filme ficou com 4 estrelas de 5, sendo considerada uma ótima avaliação no geral.

“Eu gostei bastante da adaptação, eles não tentaram simplesmente copiar o original, mas fizeram algo bastante diferente”, disse Tomki Hirano, fã do anime em entrevista ao Hollywood Reporter.

Escrita por Jonathan Herman (Straight Outta Compton), a versão com atores de Ghost in the Shell é baseada no mangá sobre uma cirborgue das forças especiais (Scarlett Johansson) que comanda uma força-tarefa de elite chamada Seção 9 para a Hanka Robotics, dedicada a parar os criminosos e extremistas mais perigosos.

O grupo de terrorista tem como líder “O Homem que Ri” (Michael Pitt), um poderoso hacker meio humano e meio máquina, cujo único objetivo é acabar com os avanços da tecnologia cibernética da Hanka. Beat Takeshi Kitano (Battle Royale), Pilou Asbæk (Lucy), Sam Riley (Malévola) e Rila Fukushima (Arrow) completam o elenco.

A direção está a cargo de Rupert Sanders (Branca de Neve e o Caçador). A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell chegou aos cinemas brasileiros em 30 de março.

“Nunca quis me passar por uma pessoa de outra raça”, diz Scarlett Johansson sobre polêmica escalação

Leia também a crítica do filme aqui.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio