David Lynch nega que irá abandonar os filmes: “ninguém sabe o que o futuro reserva”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Poucos cinéfilos negariam que David Lynch é um dos diretores mais aclamados das últimas décadas. Seu impactante e enigmático longa Cidade Dos Sonhos, de 2001, chegou a ser eleito o melhor filme do século 21 por um time de críticos de cinema de todo o mundo.

O cineasta, que foi ovacionado na última quinta-feira em Cannes após exibição do novo Twin Peaks, não dirige um filme desde Império dos Sonhos, lançado em 2006.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Recentemente, em entrevista à Sydney Morning Herald, o diretor declarou que não faria mais nenhum filme. Ao menos, foi assim nas trascrições divulgadas.

Mas agora, durante o Festival de Cannes, Lynch negou que pretende abandonar os filmes. “Minhas observações (na entrevista ao Sydney Morning Herald) foram tiradas de contexto. Eu não disse que iria abandonar o cinema. Disse apenas que ninguém sabe o que o futuro reserva”.

No jornal australiano, a fala do diretor surgiu em meio a discussões sobre as formas de consumo de obras visuais atualmente. “As coisas mudaram muito (…). Tantos filmes não estão indo bem nas bilheterias, mesmo que possam ser grandes filmes, e as coisas que estão indo bem nas bilheterias não são do estilo que eu gostaria de fazer”, declarou o cineasta na ocasião.

Nesse contexto, não se pode esquecer que não apenas as séries têm crescido com a ampla disseminação dos serviços de streaming, mas também os filmes em formato cinematográfico feitos para exibição direta nas TV’s. Nesta sexta-feira (26), por exemplo, chega às telas da Netflix o longa-metragem War Machine, com Brad Pitt, que não passou pelos cinemas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio