Mulher-Maravilha | Filme pode ser banido no Líbano porque Gal Gadot é israelense

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ministro da fazenda do Líbano pediu à agência de segurança do país para banir o filme Mulher-Maravilha. Tudo porque a protagonista, Gal Gadot, é isralense. A informação foi divulgada pela agência de notícias Al Jazeera.

Um oficial da agência de segurança ouvido pela Al Jazeera diz que não foi realizado ainda nenhum pedido oficial. Para ser formalizado, o banimento teria que ser aprovado por um comitê formado por seis ministros.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O oficial que falou à Al Jazeera não se identificou, já que não é autorizado a passar esse tipo de informação à imprensa.

Cartazes de divulgação do filme podem ser vistos nas ruas de Beirute. Ao menos uma sala de cinema vai exibir uma pré-estreia na quarta-feira (31).

No Líbano, há uma lei de boicate a produtos israelenses. Além disso, cidadãos libaneses são proibidos de visitar Israel ou manter contato com israelenses. Os dois países estão oficialmente em guerra.

Há nas redes sociais do Líbano uma intensa campanha a favor do veto ao filme. Gal Gadot serviu no exército de Israel e já participou de ações contra o Hamas.

O elenco de Mulher-Maravilha conta ainda com Connie Nielsen como Rainha Hipólita, Chris Pine como Steve Trevor, Robin Wright como Antiope, Elena Anaya como Doutora Veneno e Lucy Davis como Etta Candy.

O filme estreia no dia 1º de junho e tem direção de Patty Jenkins.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio