Os herdeiros do escritor J.R.R. Tolkien (1892-1973) tiveram um grande motivo para comemorar esta semana. Eles venceram uma batalha judicial contra a Warner Bros e ganharam US$ 80 milhões por conta de produtos digitais derivados das trilogias do Senhor dos Anéis e O Hobbit.

Segundo o jornal britânico Daily Mirror, que divulgou a informação, os herdeiros de Tolkien acusam o estúdio de produzirem games e aplicativos inspirados nos livros sem autorização. Os assessores da empresa divulgaram um comunicado público informando que o julgamento havia sido encerrado de forma amigável e com um acordo indenizatório pago.

“Ambas as partes estão satisfeitas de informar que a questão foi resolvida de forma amigável e continuam dispostas a trabalharem juntas no futuro”, informou o texto divulgado pelos assessores da Warner.


O processo foi iniciado em 2012, mesmo ano que o primeiro filme da trilogia O Hobbit foi lançado. Quem deu início da disputa foi Priscilla Tolkien, filha do escritor das obras, e pelos editores originais dos livros do autor. Eles alegavam que tinham dado autorização para 1969 produtos derivados das obras originais, mas neste montante não estavam os games e aplicativos.