Oscar | Academia pode mudar regras para aumentar chances da Netflix ao prêmio, diz presidente

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que entrega todos os anos os prêmios do Oscar, tem um novo presidente: o diretor de fotografia John Bailey, que deu entrevista ao IndieWire sobre os desafios e mudanças que enfrenta na posição.

“A nossa realidade é que a Netflix e a Amazon se tornaram os estúdios que tem a coragem de fazer os filmes que ninguém mais faria”, contou Bailey. “Eles pagam alto para ter grandes cineastas, mas não estão investidos no negócio dos cinemas físicos”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Bailey cita o documentário Wormwood, exibido no Festival de Telluride, como exemplo. “Se a Netflix não conseguir um lançamento, mesmo que limitado, nos cinemas, ele não será elegível para o Oscar. Por quê? É um filme extraordinário”, disse.

Bailey convocou o produtor Albert Berger para liderar um grupo de profissionais da indústria que farão uma reunião para definir novas regras para a Academia. “Temos que redefinir o que se qualifica para um Oscar. Como definimos o que a Academia tem como elegível hoje em dia? Mais do que isso, o que é definível como um filme hoje em dia?”, contou.

A 90º cerimônia de entrega dos Oscars será realizada no dia 4 de março de 2018. O anúncio oficial dos indicados está marcado para 23 de janeiro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio