“Harvey Weinstein destruiu a minha carreira”, diz Mira Sorvino

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O diretor Peter Jackson se posicionou contra o produtor Harvey Weinstein em nova entrevista, após mais de 60 mulheres acusarem o produtor, ex-chefe da Miramax e da The Weinstein Company, de assédio sexual.

Jackson inicialmente havia levado seus planos de fazer O Senhor dos Anéis para a Miramax e, embora tenha feito os filmes com outra companhia (a New Line) no final das contas, o processo chegou bem longe com Weinstein e companhia.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Eu me lembro dele dizendo que eu não deveria escalar Ashley Judd e Mira Sorvino. Foram essas duas que ele citou, disse que elas eram um pesadelo para trabalhar. Em perspectiva, é óbvio que não era verdade”, contou o diretor ao Stuff.

Judd e Sorvino, conhecidas pelos papéis em Divergente e Poderosa Afrodite, respectivamente, estão entre as mulheres que acusaram Weinstein de assédio.

Jackson define o comportamento do produtor, mesmo antes de saber das denúncias, como “repulsivo, como um chefão da máfia”. “O nome dele está no filme por motivos contratuais, mas ele não teve nada a ver com a produção”, completa.

Salma Hayek diz que Weinstein a obrigou a fazer cena de sexo lésbica

Amas as atrizes responderam às declarações de Jackson no Twitter. Judd se limitou a dizer que “se lembrava bem disso”.

“Acabei de ver isso quando acordei, comecei a chorar. Aí está, confirmação que Harvey Weinstein tirou a minha carreira dos trilhos, algo que eu já suspeitava. Obrigada, Peter Jackson, por ser honesto”, escreveu Sorvino.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio