Uma Thurman disse que trabalharia novamente com seu velho parceiro, o diretor/roteirista Quentin Tarantino, “caso ele escrevesse um bom papel” para ela.

A relação entre os dois, que sempre foi de estreita amizade e colaboração criativa, entrou em dúvida após Thurman se abrir na imprensa sobre um acidente no set de Kill Bill Vol. 2 que quase tirou sua vida.

A história de Thurman trouxe um debate sobre condições precárias de filmagem em Hollywood e o mal-trato de atores e, especialmente, atrizes.


“Eu conheço Quentin há 25 anos. Nós tivemos brigas? É claro que tivemos. Algumas bem feias. Nossa relação não pode ser reduzida àquele incidente, só poderia ser se eu tivesse morrido!”, contou ela à EW, três meses depois da denúncia.

“Eu não sei se será possível trabalhar com Quentin de novo, ele diz que vai fazer mais dois filmes e se aposentar, não é isso?”, questionou a seguir. “Eu adoraria fazer, se houvesse a oportunidade. Nós nos entendemos bem”.

 

Thurman já havia esclarecido antes que coloca a maior parte da culpa por seu acidente no produtor Harvey Weinstein, e que Tarantino já havia se desculpado por seu papel na história.

The House That Jack Built | Novo Lars von Trier estreia fotos sangrentas com Uma Thurman

O diretor prepara seu nono (e potencialmente penúltimo) filme, Once Upon a Time in Hollywood, com Brad Pitt e Leonardo DiCaprio – saiba mais do projeto.

Além dos dois filmes de Kill Bill (2003, 2004), Thurman e Tarantino fizeram juntos o clássico Pulp Fiction (1994), pelo qual a atriz foi indicada ao Oscar.