Uma nova reportagem do Wall Street Journal busca desvendar os problemas nos bastidores de Han Solo: Uma História Star Wars que levaram à demissão dos diretores Phil Lord e Chris Miller e à contração de Ron Howard.

Segundo a publicação, a produtora Kathleen Kennedy, presidente da Lucasfilm e de facto supervisora de todos os filmes de Star Wars, não gostou da abordagem criativa de Lord e Miller, que queriam fazer “uma aventura no estilo Guardiões da Galáxia”.

Após a demissão de Lord e Miller, portanto, Howard chegou com “uma abordagem mais tradicional, voltando aos filmes clássicos da saga”. O diretor de O Código da Vinci é responsável por 70% do filme finalizado, segundo a reportagem.


Han Solo: Uma História Star Wars seguirá estilo dos longas dos anos 70, afirma diretor

Han Solo já é considerado um sucesso, pois nos Estados Unidos, o longa tem vendido mais ingresso de pré-estreia do que Pantera Negra (saiba mais).

Apesar do sucesso, e da notícia de que Alden Ehrenreich assinou contrato para três filmes no papel do jovem Han Solo, o diretor Ron Howard não garante que uma sequência vai mesmo acontecer.

Recentemente, foi confirmado que o filme terá 135 minutos de duração, graças a informações do Festival de Cannes, onde o longa será exibido fora de competição – veja a lista de selecionados.

O longa sobre a juventude do personagem interpretado por Harrison Ford na franquia original (agora, Alden Ehrenreich) ainda tem Thandie Newton, Donald Glover, Woody Harrelson, Emilia Clarke e Paul Bettany no elenco.

Ron Howard (O Código Da Vinci) dirige a produção da Lucasfilm após alguns percalços na produção – anteriormente contratados, os diretores Phil Lord e Chris Miller (Uma Aventura LEGO) foram demitidos no meio da produção.

Han Solo: Uma História Star Wars estreia em 24 de maio de 2018.