Paul Zumbro, advogado da Weinstein Company, revelou nessa sexta-feira no Tribunal de falências de Delaware que a compra da empresa pela Lantern Capital Partners diminuirá seu valor em R$87 milhões.

O que seria anteriormente R$1,16 bilhão passou para R$1,08 bilhão, segundo o próprio Zumbro.

A diminuição do valor aconteceu para fazer a transação voltar a acontecer, já que ficou estagnada nos últimos tempos, mesmo tendo sido aceita pelo juiz em tribunal.


Sandra Bullock revela que tinha medo de trabalhar com Harvey Weinstein

O caso mais sólido que as autoridades possuem contra Weinstein envolve uma mulher chamada Lucia Evans, que acusou Weinstein se obrigá-la a praticar sexo oral nele em 2004. O relato de uma segunda vítima, não nomeada, está incluído no processo oficial.

É por essas acusações, entre as mais de 60 que surgiram contra Weinstein desde os primeiros artigos do The New York Times no ano passado, que o produtor deve responder na justiça.

Entre as mulheres que alegam assédio e abuso por parte de Weinstein, atrizes como Ashley Judd, Gwyneth Paltrow, Angelina Jolie, Léa Seydoux, Lupita Nyong’o, Asia Argento, Rose McGowan, Lena Headey, Mira Sorvino e muitas outras.

Pouco após as acusações surgirem na imprensa, Weinstein foi demitido de sua produtora, a The Weinstein Company, que subsequentemente foi à falência e foi vendida.