O cineasta francês responsável pelo documentário Shoa (1985), que tem mais de nove horas de duração, o francês Claude Lanzmann faleceu aos 92 anos nesta quinta-feira (5) em Paris.

A informação foi confirmada pela editora Gallimard. Lanzmann estava em sua residência, mas conforme o comunicado, com a saúde muito frágil já há alguns dias.

Robby Muller, parceiro de Lars Von Trier no cinema, falece aos 78 anos


No cinema, o trabalho de Lanzmann, que lutou contra os nazistas na Segunda Guerra Mundial, foi expor tudo que aconteceu naquele evento histórico. O documentário mais famoso do francês, Shoa, é sobre o holocausto, por exemplo.

O diretor também gostava de usar Israel como inspiração para as suas obras. Entre os filmes mais marcantes de Lanzmann estão Tsahal (1994), Un Vivant qui passe (1999) e O Último dos Injustos (2013).

Claude Lanzmann é mais um daqueles grandes cineastas que terminaram a carreira sem um Oscar, para crítica de todos fãs do cinema. Chegou a ser indicado justamente por um curta-metragem sobre Shoa, em 2016, mas não recebeu o prêmio. Em 2011, o diretor recebeu a Ordem Nacional da Legião da Honra da França, e em 2013, uma homenagem com o Urso de Ouro Honorário, na Alemanha.