No mês em que completa 70 anos de idade, Tony Ramos será homenageado com um especial no Canal Brasil, que vai exibir três filmes marcantes de sua carreira e a estreia de seu mais recente longa.

Nesta terça-feira (28), a partir das 15h45, vão ao ar em sequência: Pequeno Dicionário Amoroso (1996) e Chico Xavier (2010). Às 22h, Quase Memória (2018) será exibido pela primeira vez na TV – menos de quatro meses depois de estrear nos cinemas. Tempos de Paz (2008) encerra o especial de Tony Ramos, à 0h15.

Veja datas, horários e sinopses dos filmes:


ESPECIAL TONY RAMOS 70 ANOS

Terça, dia 28/8, às 15h45 – Pequeno Dicionário Amoroso (1996)

O primeiro longa-metragem de Sandra Werneck traz Andréa Beltrão e Daniel Dantas nos papéis de Luíza e Gabriel, um casal que questiona seus sentimentos por meio de um dicionário amoroso. À medida que se envolvem, eles passam a questionar, com sensibilidade e bom humor, a natureza de seus sentimentos. De “atração” à “separação”, passando por “coincidência”, “jogo” e “revanche”, o romance é todo documentado em verbetes. Com trilha sonora de Ed Motta e José Nabuco, a produção faz parte de uma trilogia – ainda incompleta – e continuada por Amores Possíveis (2001). Em 1996, o filme ganhou o Prêmio Lente de Cristal do Público no Festival do Cinema Brasileiro de Miami e o Prêmio da Crítica no Festival de Filmes Românticos de Verona. No mesmo ano, recebeu o troféu de melhor montagem no Festival de Brasília.

Terça, dia 28/8, às 18h30 – Chico Xavier (2010)

O pequeno Chico Xavier (Matheus Costa, na infância) alega ouvir vozes e ver pessoas já falecidas desde criança. Na maioria das vezes, muitos imaginam tratar-se apenas de imaginações de um guri. Na fase adulta (vivido por Ângelo Antônio), no entanto, seu dom começa a aflorar e ele psicografa mensagens de espíritos desencarnados. Os anos se passam e, agora mais velho (vivido por Nelson Xavier), Chico é convidado para participar de um programa de televisão no qual comenta detalhes sobre o espiritismo. Orlando (Tony Ramos), o diretor da atração, é um ateu cujo filho com Glória (Christiane Torloni) faleceu em um acidente com uma arma. O dom do médium ajuda a confortar a dor dos pais após a perda da criança, mas eles precisam confrontar outra importante decisão: continuar ou não com o processo que pode condenar o responsável pela morte do menino.

Terça, dia 28/8, às 22h – Quase Memória (2018)

Carlos (Charles Fricks) se depara, na sala de sua própria casa, com um idoso de mesmo nome (Tony Ramos) com lapsos de memória e feições muito parecidas. Em pouco tempo, no entanto, eles percebem que são a mesma pessoa em estágios diferentes da vida. De início, ambos os personagens são céticos com a possibilidade desse encontro impossível em condições normais, mas logo deixam para trás o estranhamento e começam a explorar detalhes do passado. O principal foco das memórias é o pai, Ernesto (João Miguel), e as histórias vividas ao lado dele. As lembranças, contudo, são recordadas pelo prisma dos próprios protagonistas, sem uma preocupação em serem relatos fieis da realidade.

Terça, dia 28/8, à 0h15 – Tempos de Paz (2008)

A 2ª Guerra Mundial entrava em seu último ano em 1945. O conflito armado gerou a dispersão em massa de sobreviventes dos países europeus para diversos lugares do mundo, e o Brasil recebeu uma grande quantidade de estrangeiros em busca de uma nova vida em solo sul-americano. Entre centenas de imigrantes do continente, em um navio destinado às Ilhas Falkland com escala no Rio de Janeiro, está o polonês Clausewitz (Dan Stulbach). Ele se apresenta à alfândega no distrito federal para garantir um salvo-conduto que lhe permitiria a permanência no país, mas o português fluente com um carregado sotaque eslavo – ele recita versos de Mãos Dadas, poema de Carlos Drummond de Andrade – chama a atenção dos funcionários do escritório e ele precisa passar pelo interrogatório de Segismundo (Tony Ramos).