Papillon, baseado na obra homônima de 1969 de Henri Carrière, é na verdade uma história de amor. Ao menos, é isso que garante o diretor Michael Noer.

“Essa é a primeira coisa que eu escrevi ao lado das páginas enquanto eu passava o roteiro: a chance de não fazer apenas um filme de amizade, mas também um filme de amor”, declarou Noer para Variety.

O longa é baseado na história real de Henri ​Papillon Charrière (Charlie Hunnam), um homem acusado injustamente de assassinato e condenado à prisão perpétua na temível Ilha do Diabo, na Guiana Francesa. Determinado a recuperar sua liberdade, Papillon forma uma aliança com outro condenado, Louis Dega (Rami Malek), que, em troca de proteção, concorda em financiar essa fuga. ​


Na nova visão do diretor dinamarquês, o fato do filme ser uma história de amor pode trazer outras consequências aos detentos.

Papillon | Charlie Hunnam e Rami Malek tentam fugir da Ilha do Diabo em novo trailer nacional

“Na amizade, você pode dizer que é ligado apenas até uma certa extensão, mas no amor, você tem o laço do lado bom e do ruim. Você pode machucar o outro muito mais do que poderia em uma amizade. Começa com eles se odiando, depois eles tem uma amizade, e no final eles acabam se moldando juntos”, explicou o cineasta.

No longa, as estrelas Charlie Hunnam e Rami Malek terão que superar todos os seus limites para conseguir escapar da prisão e provar sua inocência. Todos que tentaram fugir foram levados para a solitária ou condenados à morte, o que torna a missão ainda mais arriscada.

Papillon traz ainda ​Roland Møller, Tommy Flanagan, Eve Hewson e Michael Socha no elenco.

Papillon estreia no Brasil em 4 de outubro de 2018.