Bingo – O Rei das Manhãs é o principal vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2018

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Academia Brasileira de Cinema anunciou na noite da última terça-feira (18), os vencedores do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, durante cerimônia na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. O grande vencedor da noite foi Bingo – O Rei das Manhãs, que levou o prêmio de Melhor Filme.

Outros vencedores do troféu Grande Otelo foram A Glória e a Graça, de Flávio Ramos Tambellini e Como Nossos Pais, de Laís Bodanzky. A disputa reuniu 36 longas e 20 curtas nacionais, além de 5 longas estrangeiros, que concorreram em 30 categorias.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ninguém Tá Olhando | Netflix anuncia série brasileira do diretor de Bingo

Um dos pontos altos e mais emocionantes da noite foi a homenagem à Fernanda Montenegro, que aos 89 anos de idade celebra 75 de carreira. Vinícius Oliveira, que contracenou ainda criança com a atriz em Central do Brasil, em 1998, recitou um cordel de Bráulio Bessa escrito especialmente para ela, levando a Grande Dama às lágrimas. Os diretores Cacá Diegues e Zelito Viana, e o produtor Luiz Carlos Barreto, amigos de longa data de Fernanda Montenegro, subiram ao palco para entregar o troféu. O cineasta Nelson Pereira dos Santos e o diretor, produtor e ex-presidente da Academia Brasileira de Cinema, Roberto Farias, que faleceram esse ano, também foram lembrados.

Confira a lista dos vencedores abaixo:

MELHOR CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO

Vênus-Filó a Fadinha Lésbica, de Sávio Leite

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

Ocupação do Hotel Cambridge, de Andrea Mendonça

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO

A Passagem do Cometa, de Juliana Rojas

MELHOR MONTAGEM DE DOCUMENTÁRIO

Natara Ney, por Divinas Divas

MELHOR MONTAGEM DE FICÇÃO

Márcio Hashimoto, por Bingo – O Rei das Manhãs

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

Gustavo Hadba, por A Glória e a Graça

MELHOR EFEITO VISUAL

Ricardo Bardal, por Malasartes e o Duelo com a Morte

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Mikael de Albuquerque e Lusa Silvestre, por A Glória e a Graça

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Mikael de Albuquerque, por Real – O Plano Por trás da História

MELHOR FIGURINO

Márcio Hashimoto, por Bingo – O Rei das Manhãs

MELHOR MAQUIAGEM

Márcio Hashimoto, por Bingo – O Rei das Manhãs

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

Márcio Hashimoto, por Bingo – O Rei das Manhãs

MELHOR TRILHA SONORA

Claudio Amaral Peixoto, por João, o Maestro

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

Claudio Amaral Peixoto, por O Filme da Minha Vida

MELHOR SOM

Claudio Amaral Peixoto, por João, o Maestro

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

Uma Mulher Fantástica (Chile)

MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL

Detetives do Prédio Azul

MELHOR LONGA-METRAGEM ANIMAÇÃO

Historietas Assombradas – O Filme

MELHOR SOM

George Saldanha, François WOlf e Armando Torres Jr., por João, o Maestro

MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

Divinas Divas

MELHOR LONGA-METRAGEM COMÉDIA

Divórcio

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Augusto Madeira, por Bingo – O Rei das Manhãs

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Sandra Corvelloni, por A Glória e a Graça

VOTO POPULAR PARA MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

La La Land – Cantando Estações

VOTO POPULAR PARA MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

Cora Coralina – Todas as Vidas

VOTO POPULAR PARA MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO

Bingo – O Rei das Manhãs

MELHOR DIREÇÃO

Laís Bodanzky, por Como Nossos Pais

MELHOR ATOR

Vladimir Brichta, por Bingo – O Rei das Manhãs

MELHOR ATRIZ

Maria Ribeiro, por Como Nossos Pais

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO

Bingo – O Rei das Manhãs

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio