Definido como o papel mais desafiador da sua carreira, Rosamund Pike quase desistiu de estar em A Private War. Ao Indie Wire, a atriz conta que foi tomada por muita emoção ao longo das gravações.

O filme é baseado na vida da correspondente de guerra, Marie Colvin, vivida pela atriz. A produção contratou pessoas que já foram refugiadas em zonas de combate o que foi um grande desafio para o elenco.

Na entrevista, a atriz descreveu uma das cenas, em que um homem revivia o momento em que seu sobrinho, no seu colo, levava um tiro e falecia.


“O aumento do sofrimento desse homem foi doloroso. Foi muito difícil estar na mesma sala que ele. Eu tive uma confusão emocional, profunda compaixão, e uma espécie de sentimento de revolta pela tragédia da perda. E eu fiquei confusa em qual fala estávamos ou que estávamos fazendo. O que eu estava fazendo? Eu disse no set, ‘Eu não sei o que fazer com meus sentimentos. Eu não sei como processar isso. Eu não sei se o que estamos fazendo está certo'”, confessou a atriz.

Mesmo com a quase desistência, Rosamund Pike seguiu em frente e está recebendo diversas críticas positivas com o filme.

007 | Rosamund Pike se recusou a ficar de roupas íntimas em audição para o filme

A trama acompanha a jornalista nas linhas de frente em conflitos ao redor do mundo. O longa-metragem é dirigido por Matthew Heineman, em seu primeiro filme de ficção depois do elogiado documentário Cartel Land.

Confira a sinopse oficial de A Private War abaixo:

“Em um mundo no qual o jornalismo está sob ataque, Marie Colvin (Rosamund Pike) é uma das mais celebradas correspondentes de guerra de nosso tempo. Colvin é destemida e rebelde, levada às linhas de frente de conflitos ao redor do mundo, para dar voz a aqueles sem voz, enquanto constantemente testa os limites entre bravura e coragem. Depois de ser atingida por uma granada no Sri Lanka, ela passa a usar um tapa-olho e continua tão confortável em beber martinis com a elite de Londres, quanto é confrontando ditadores. Ainda assim, sua missão de mostrar o verdadeiro preço da guerra, a leva – junto do renomado fotógrafo de guerra, Paul Conroy (Jamie Dornan) – em uma das missões mais perigosas de sua vida, na cidade da Síria, Homs. Baseado na extraordinária vida de Marie Colvin, A Private War, é trazido pelo indicado ao Oscar e aclamado pela crítica, diretor Matthew Heineman, em seu filme de ficção de estreia”.

O filme está em exibição nos Estados Unidos, e ainda não tem data de estreia para o Brasil.