Claire Foy revelou que teve uma “grande dúvida” em assumir o papel de Lisbeth Salander em Millenium: A Garota na Teia de Aranha.

Em entrevista ao Digital Spy, a atriz contou que se sentia pressionada pelos elogiados trabalhos anteriores de Noomi Rapace e Rooney Mara.

“Inicialmente, eu estava tipo, ‘Não, não quero ter nada a ver com isto’. Tinha visto os trabalhos de Noomi e Rooney, que são algumas das melhores de todos os tempos, e li e adorei o romance. Era como ‘Vocês são Lisbeth, vocês duas são, fizeram um trabalho incrível”, disse.


“Então, eu apenas pensei: ‘Por que alguém estaria interessado em convidar esse julgamento e crítica e começar de novo?’.”

Crítica | Millennium: A Garota na Teia de Aranha

Foy explicou que sua desconfiança acabou após uma reunião com o cineasta Fede Alvarez, onde ele apresentou suas ideias.

“A ideia de interpretá-la e investigar o que ela parecia ser e o que ela realmente era foi realmente emocionante para mim”, disse.

O diretor Fede Alvarez (O Homem nas Trevas) comanda o novo thriller criminal baseado na série de livros de Stieg Larrson e David Lagercrantz.

Stephen Merchant (Logan), Sverrir Gudnason (Mikael Blomkvist), Lakeith Stanfield (Alona Casales), Sylvia Hoeks, Claes Bang, Christopher Convery, Synnøve Macody Lund, Cameron Britton e Vicky Krieps completam o elenco.

Claire Foy, estrela de The Crown, se separa do marido após 4 anos de casamento

Millenium já chegou nos cinemas anteriormente, em uma trilogia sueca e no filme Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, de David Fincher, com Rooney Mara e Daniel Graig no papel de Lisbeth Salander e Mikael Bloomkvist, respectivamente.

Steven Knight (Peaky Blinders) escreve A Garota na Teia de Aranha, que já está em cartaz nos cinemas.