Em entrevista para a revista Variety, Brady Corbet, diretor do elogiado Vox Lux, falou em detalhes sobre seu novo projeto: The Brutalist, um drama que aborda temas como imigração, preconceito e anti-semitismo.

Vox Lux | Diretor compara personagem de Natalie Portman a Kanye West

“Esse é um filme que tenta mostrar o que significa para alguém perder tudo que construiu, e os efeitos dessa perda para sua psiquê. Quando pensamos no que foi perdido na guerra, pensamos em vidas humanas, mas raramento refletimos sobre os ofícios e profissões perdidas”, explicou Brady


The Brutalist conta a história de um arquiteto judeu nascido na Hungria que sobrevive aos campos de concentração e busca uma vida melhor nos Estados Unidos do pós-guerra. Sua esposa também sobrevive ao holocausto, mas é mantida em um campo de refugiados na fronteira húngara.

“Agora, devido à crise da imigração nos Estados Unidos e Europa, eu acho que é extremamente importante refletir sobre as experiências dos imigrantes; também com o estranho aumento do anti-semitismo, é importante voltar a olhar para suas origens”, afirmou o diretor.

O filme tira seu título da palavra “brutalismo”, um movimento arquitetônico desenvolvido por arquitetos modernos em meados dos anos 50 e 60. Sua proposta era a radicalização dos preceitos da arquitetura e design da época. O movimento pretendia expôr a verdade das edificações, deixando expostos na maioria das vezes seus elementos estruturais, como vigas e pilares de metal.

Entre os edifícios mais famosos influenciados por movimento está o Centre Pompidou, o mais importante museu de arte moderna de Paris, cuja foto ilustra essa matéria.

A ALP vai desenvolver o roteiro junto de Corbet, além de financiar o filme.

Fora Vox Lux, Brady Corbet dirigiu A Infância de Um Líder, elogiado filme de 2015.

Ainda não há previsão de estreia para The Brutalist.