Em um raro momento de frustração, o cineasta Alfonso Cuarón defendeu a Netflix durante o Globo de Ouro 2019.

Após receber o Globo de Ouro de melhor diretor por Roma, Cuarón foi questionado por um jornalista que apontou preocupações do setor independente de cinema sobre o modo com que o serviço de streaming lança suas produções, acusando a plataforma de contribuir, de alguma forma, para a “morte” do cinema independente.

“Minha pergunta para você é: quantos cinemas do mundo você acha que exibiriam um longa mexicano em preto e branco, ambientado na Espanha e em Mixteco, que é um drama sem nenhuma estrela de cinema? O quão grande você acha que seria um lançamento convencional no cinema?”, rebateu Cuarón.


Bird Box 2 | Diretora não descarta sequência na Netflix

“Simplesmente acho que as discussões entre a Netflix e as outras plataformas em geral deveriam acabar”, continuou. “Aqueles caras, das plataformas e dos cinemas, deveriam se unir e perceber que estão machucando o cinema com suas brigas.”

Alfonso Cuarón prosseguiu com a resposta ao jornalista, apontando mais problemas com o cinema moderno.

“Devemos estar conscientes de que a experiência nos cinemas se tornou exclusiva de uma espécie de produto”, contou. “No momento, é inquestionável que certos cineastas, muito interessantes, fazem filmes para diferentes plataformas porque elas não têm medo de produzi-los.”

Roma, de Alfonso Cuarón, que também foi premiado como Melhor Filme Estrangeiro, já está disponível na Netflix.