A saída de Johnny Depp da franquia de Piratas do Caribe não foi recebida com entusiasmo pelos fãs, mas deve gerar uma boa economia nos cofres da Disney. Pelo menos é o que diz a Forbes.

De acordo com um relatório da revista, o estúdio economizará cerca de US$ 90 milhões em custos de produção ao não incluir Johnny Depp no próximo Piratas do Caribe. Já é de amplo conhecimento que o salário do astro é estratosférico, mas ainda não está claro o que a revista considerou para chegar a este número.

Johnny Depp foi um dos nomes mais lucrativos da indústria por anos, mas hoje em dia não é mais visto com os mesmos olhos. A maioria das recentes produções estreladas por Depp foram grandes fracassos de bilheteria e o próprio Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar, em que retornou como o icônico Capitão Jack Sparrow, não rendeu a arrecadação esperada.


Piratas do Caribe | Fãs criticam ideia do reboot da série sem Johnny Depp

O novo Piratas do Caribe deve trazer uma protagonista feminina no lugar do excêntrico Sparrow.

O roteiro está sendo escrito por Rhett Reese e Paul Wernick, conhecidos por seu trabalho em Deadpool e na sequência.

Começando em 2003, a franquia começou com Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra, sendo continuada com O Baú da Morte, No Fim do Mundo, Navegando em Águas Misteriosas e A Vingança de Salazar.

O reboot de Piratas do Caribe ainda não tem previsão de estreia.